Professor Lucas deve voltar às urnas 52 anos após ser cassado pela ditadura

O político vai concorrer a uma das 41 cadeiras disponíveis para a Assembleia Legislativa de Goiás e deve aparecer na chapa de 42 nomes da federação PSDB/Cidadania 

O professor Lucas Gonçalves (PSDB), um dos sócios fundadores do Colégio Einstein Goiânia e Anápolis, pretende voltar às urnas 52 anos após ser cassado pela ditadura militar. À época, o político e professor era vereador na cidade de Goianápolis pelo MDB (oposição ao Arena). Agora, o tucano, que inclusive já esteve na presidência do diretório municipal de Anápolis, se apresenta como pré-candidato a uma das 41 cadeiras disponíveis para a Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).

Com bases em Goiânia e Anápolis, onde mantém as duas sedes do Colégio Einstein, ele também conta com apoio em Nerópolis, Goianápolis, Nova Veneza e Senador Canedo. Lucas aposta, inclusive, no apoio de Onaide Santillo (PSDB), ex-deputada estadual e viúva de Adhemar Santillo, ex-prefeito de Anápolis e ex-deputado federal. Ele também deve caminhar com o ex-governador Marconi Perillo (PSDB), que apoia e “acredita muito” no projeto.  

A pauta do tucano deve ser voltada para a educação, prevenção às doenças, prevenção à insegurança desenvolvimento econômico, no combate ao desemprego e na preservação do meio ambiente. “A educação contribui para o desenvolvimento econômico pessoal e da nação. É nela que as pessoas são orientadas à melhor escolha profissional e a lutar pela valorização do seu trabalho”, explica.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.