“Privatizar Mutirama é totalmente inviável”, diz presidente da Agetul

Alexandre Magalhães garante que parque tem caráter social e não é viável comercialmente 

Alexandre Magalhães | Foto: Jornal Opção

O presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Alexandre Magalhães (PSDC), afirmou, durante entrevista ao Jornal Opção, que a Prefeitura de Goiânia não deve modificar a gestão do Parque Mutirama, palco de um acidente na última semana que deixou 11 feridos.

Segundo ele, não há viabilidade econômica para uma possível desestatização — proposta pelo vereador Lucas Kitão (PSL) e defendida também por outros parlamentares. “Podem fazer quantos estudos quiserem que concluirão que é totalmente inviável”, asseverou.

A explicação reside no fato de que a receita não consegue cobrir todas as despesas, o que acaba demandando aportes dos cofres públicos. “O parque tem um fim social e não comercial. Os valores dos ingressos são R$ 16, a inteira, e R$ 8, a meia; em parques privados variam de R$ 130 a R$180, quantas pessoas em Goiânia tem dinheiro para pagar isso?”, argumentou.

Além disso, Alexandre Magalhães lembrou que há uma crise na indústria dos parques no Brasil, que sofrem com a falta de incentivos: “Prova disso é que vários estão em recuperação judicial.”

Questionado se não seria possível nem mesmo uma Parceria Público-Privada, o presidente da Agetul, que também é empresário há 20 anos, disse que jamais participaria da licitação. “É totalmente inviável”, completou.

Mudanças

Sobre quais medidas a administração do prefeito Iris Rezende (PMDB) pretende tomar após o acidente no Mutirama que deixou 11 pessoas feridas, sendo três em estado grave, o presidente da Agetul sugeriu apenas mudanças técnicas.

“Vamos mudar o protocolo de manutenção, fazendo revisões nos brinquedos de uma maneira mais profunda e constante. Faço uma gestão empresarial do parque e não política, como era no passado. Queremos entregar o parque em segurança, mantendo o modelo atual”, adiantou.

Demissão

Vereadora Priscilla Tejota pediu afastamento de Alexandre Magalhães | Foto: Alberto Maia

Alexandre Magalhães rebateu, durante a entrevista, críticas feitas por vereadores da oposição, que pediram sua demissão após o acidente no Mutirama. Segundo ele, antes de qualquer crítica, deveriam convidá-lo para discussão.

“Antes de julgar qualquer pessoa, é preciso ouvi-la. Já me ofereço de antemão a ir ao Parlamento para pontuarmos o que deve ser feito dentro da Agetul”, arrematou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.