PRF flagra casos de exploração sexual de adolescentes em motéis goianos

Em Goiás existem 175 pontos que considerados de alto risco para a presença de crianças e adolescentes

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Polícia Rodoviária Federal realizou nesta sexta-feira (11/10) operação de enfrentamento à Exploração Sexual de Adolescentes em casas noturnas, motéis e outros pontos às margens das rodovias federais nas cidades de Aparecida de Goiânia, Anápolis, Morrinhos, Rio Verde e Jataí. De acordo com levantamento realizado pela PRF, existem no País 1969 pontos vulneráveis a esse tipo de crime nas margens das BRs. Em Goiás foram encontrados 175 pontos que são considerados de alto risco para a presença de crianças e adolescentes.

Na operação, em Aparecida de Goiânia, foram flagrados dois casos de adolescentes de 17 anos dentro de motéis. Além disso, foi flagrado um caso mais grave, uma adolescente, também de 17 anos, fazendo programa na rua. Ao conversar com a equipe policial ela relatou que recebe R$ 50,00 por programa, mas que é obrigada a repassar R$ 30,00 de para uma cafetina. A jovem foi encaminhada à Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) do município, que instaurou inquérito para encontrar a aliciadora.

A operação foi realizada de forma conjunta com a Secretaria de Mulher e Igualdade Racial (Semira), que disponibilizou psicólogos e assistentes sociais para acompanhar os casos, além de também auxiliarem o Juizado da Infância de Aparecida, o Conselho Tutelar e o Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Em Jataí, foram flagrados casos de adolescentes em motéis, desacompanhados dos responsáveis. Em um dos casos havia uma adolescente de 15 anos com um homem de 34. Nos outros municípios foram realizadas ações similares, mas não flagrou-se situações irregulares.

Exploração sexual de crianças e adolescentes é crime grave e a pena varia de 4 a 10 anos de reclusão. Para evitar essa situação, existe uma infração administrativa no Estatuto da Criança e Adolescente, que proíbe a presença de jovens, desacompanhados dos responsáveis, em motéis, pensões e congêneres. A penalidade nesses casos é de multa para o estabelecimento e é aplicada pelo Juizado da Infância e Juventude.

Deixe um comentário