Prevista para ser concluída em setembro, obra no Parque Cascavel avança lentamente

Galeria feita no leito para conter assoreamento não tem data para conclusão, mesmo com a proximidade do período de chuvas

Córrego Cascavel no parque de mesmo nome | Foto: Nathan Sampaio

Depois da chuva atípica que chegou a Goiânia no início da última semana, o Jornal Opção recebeu imagens de como ficou o córrego na altura do Parque Cascavel, no Jardim Atlântico, região sul da capital. Na foto, o barro tomou conta do leito, já que naquele local há uma obra que vai completar um ano em novembro sem previsão de conclusão.

Uma das moradoras da região, a fotógrafa Débora Garcia, denunciou ao Jornal Opção que a obra começou em meados de novembro do último ano e que, desde então, não vê sinais de conclusão da interdição.

“Caminho pelo parque quase todos os dias e algumas vezes vejo poucas pessoas trabalhando lá, outras vezes tem mais trabalhadores, mas faz muito tempo que começaram e parece que não termina nunca. Parece que é descaso com o córrego, a natureza”, contou.

Em maio, quando a reportagem apurou que, mesmo com o fim do período das chuvas a obra não tinha avançado, o gerente de parques e unidades de conservação, José Ricardo da Silva, disse que a previsão era de que essa obra, “que impedirá o assoreamento total do córrego”, terminasse em setembro. O que acabou não se cumprindo.

Segundo José, a construção se trata de uma galeria. “É uma barreira de contenção para evitar que detritos cheguem ao lago”, explicou.

Desta vez, o Jornal Opção também pediu um posicionamento da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA). Por meio de nota, o órgão respondeu que todos os esforços estão sendo feitos para que a respectiva obra seja concluída antes do período da chuva.

“As ações para esse propósito foram intensificadas, inclusive há dois turnos de trabalho. Faz-se necessário ressaltar que serviço de desassoreamento realizado demandou um grande trabalho na remoção dos resíduos do lago”, diz a Amma, que também enviou fotos comprovando que houve a recuperação do leito alguns dias após a última chuva.

Foto: divulgação

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.