Presos que estavam em situação sub-humana em Planaltina de Goiás são transferidos

A justiça havia determinado que os presos fossem transferidos da delegacia dentro de 48 horas. Eles foram transferidos para unidade em Flores de Goiás na tarde desta quarta-feira (17/8)

Uma determinação da Justiça expedida na última terça-feira (16/8) pedia a destinação de cerca de 15 presos que estavam retidos na Delegacia Civil de Planaltina de Goiás em condições sub-humanas. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Administração Penitenciária e Justiça de Goiás (Sapejus), os presos foram transferidos para a cidade de Flores de Goiás na tarde desta quarta-feira (17).

A assessoria também comentou que estão sendo feitas obras na região para a criação de uma unidade penitenciária, mas não informou o prazo para conclusão. Questionada pelo Jornal Opção Online sobre o destino dos presos até o fim destas obras a assessoria afirmou que existem quatro vagas na delegacia e que, caso essas vagas não sejam suficientes, os detidos serão destinados para outras penitenciárias próximas.

De acordo com o juiz Alano Cardoso e Castro, substituto da Vara Penal de Planaltina de Goiás, não se pode ser complacente com a situação. “Por mais que alguém tenha cometido um crime, aquilo é desumano, é ser tratado pior do que bicho”, declarou Alano sobre a determinação. Entre os presos estavam 12 adultos e três adolescentes, situação que fere o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Nova unidade prisional

Um projeto de lei para doação da área para ciração de uma nova Unidade Penal está em tramitação na Assembleia Legislativa de Goiás. O presídio terá 388 vagas e deve atender as necessidades da região.

Foram destinados o valor de R$ 12.650.00,00 para o projeto, sendo que R$ 3.650.000,00 à conta da União e R$ 9.000.000,00 do Estado. O governador Marconi Perillo (PSDB) informou ao ao presidente da Assembleia, o deputado Helio de Sousa (DEM), que o processo já se encontra em tramitação na Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.