Preso morre após passar mal dentro de cela superlotada em delegacia de Goiânia

Carceragem onde João Alberto dos Santos morreu tinha capacidade para 6 presos, mas abrigava 24

Presos amontoados em cela | Foto: Antonio Cruz/ABr

Presos amontoados em cela | Foto: Antonio Cruz/ABr

Um homem de 34 anos morreu na cela número dois da Delegacia Estadual de Capturas (Decap) na noite de quinta-feira (11/12). De acordo com delegado titular da Decap, Delci Alves, o homem foi capturado na tarde de quinta-feira e encaminhado para um cela que tem capacidade para 6 presos — mas que já abrigava outros 23.

João Alberto dos Santos tinha mandado de prisão por roubo cometido na município de Camacan, na Bahia. Ainda segundo o delegado, poucas horas depois da prisão, por volta das 22h30, o capturado começou a sentir-se mal.  Em seguida, agentes da delegacia solicitaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que ao chegar ao local constataram o óbito. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Goiânia.

Em entrevista ao Jornal Opção Online, Delci Alves comentou que todas as celas das delegacias de Goiânia estão praticamente superlotadas e justificou: “Atualmente enfrentamos uma verdadeira crise, sobretudo porque a Casa de Prisão Provisória [CPP] de Aparecida de Goiânia, que também está sobrecarregada, está proibida de receber novos presos após decisão da 1ª Vara de Execução Penal (VEP) da capital, por isso essa superpopulação de presos pelas delegacias”.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária e Justiça (Sapejus) informou que de acordo com a decisão do judiciário, que data de setembro deste ano, a lotação máxima da CPP é de 1,8 mil presos, mas que recentemente abriga mais de 2 mil pessoas e que as vagas para as delegacias são disponibilizadas diariamente para a central da Decap que, por sua vez, faz a distribuição entre as carceragens da Polícia Civil.

Deixe um comentário