Presidentes da Acieg e da Fieg avaliam propostas dos governadoriáveis Iris Rezende e Vanderlan Cardoso

*Colaborou Thiago Araújo

Os governadoriáveis receberam um documento com as principais necessidades para o próximo mandato elaborado pelas entidades. São citados quesitos como educação, tributação, segurança pública, infraestrutura, política industrial e gestão pública

A Federação das Indústrias de Goiás (Fieg) recebeu na manhã da última terça-feira (12/8) os candidatos ao governo do Estado Iris Rezende (PMDB) e Vanderlan Cardoso (PSB) para debater propostas para o setor industrial. Os governadoriáveis também receberam um documento com as principais necessidades para o próximo mandato, elaborado pela instituição. São citados quesitos como educação, tributação, segurança pública, infraestrutura, política industrial e gestão pública.

Em entrevista ao Jornal Opção Online a presidente da Associação Industrial, Comercial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg), Helenir Queiroz, informou que o debate foi produtivo e ambos os candidatos apresentaram ações relevantes. “Iris Rezende impressonou-me bastante com suas ideias para governar Goiás. Sobre a competitividade, na informatização do setor produtivo, eu perguntei ao candidato como conciliar o passado e o futuro, e ele respondeu que está aberto aos avanços que Goiás precisa”, disse. O candidato também salientou que o Estado precisa de leveza para entender a atual agressividade e competitividade do setor.

Sobre as repostas do candidato Vanderlan Cardoso, a presidente da Acieg declarou que seu discurso foi arrojado e que o candidato demonstrou uma visão avançada para Goiás, mas fez críticas à sua atuação pelo setor. “Ele tem um plano estruturado, no entanto esteve ausente nos últimos anos nas lutas pelos incentivos fiscais, na luta pela Celg, na desburocratização da Semarh, pois afinal, todos os empresários goianos estavam engajados nessas lutas”. Em resposta a esse questionamento o candidato afirmou que a Acieg nunca o havia convidado, mas os empresários realmente têm que mostrar interesse nestas lutas.

O presidente da Fieg, Pedro Alves de Oliveira, em entrevista ao Jornal Opção Online, também se posicionou sobre a reunião afirmando que a discussão foi proveitosa para o setor industrial. “O importante foi que os empresários e outros participantes tiveram a oportunidade de ouvir o plano de governo de cada um”, disse. Segundo Pedro, os candidatos responderam as questões no sentido de ampliar as políticas existentes, como por exemplo na educação, onde ambos citaram a importância de implantar tempo integral para escolas do ensino médio.

Quanto às questões do sistema tributário, os candidatos concordaram que os incetivos fiscais são de grande importância para o futuro do Estado. “Iris Rezende defendeu que os incentivos fiscais começaram durante seu primeiro mandato como governador, com o Fomentar”, declarou Pedro Alves.

O próximo debate acontece no dia 19 de agosto entre os candidatos Antônio Gomide (PT) e Marconi Perillo (PSDB). De acordo com Pedro Alves os temas debatidos terão o mesmo teor deste primeiro debate.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.