Presidente, Bruno Peixoto diz que PMDB quer Iris candidato e PT é aliado preferencial

Deputado foi reconduzido ao comando do diretório Metropolitano do partido neste sábado (12/9). Meta é fazer de 12 a 15 vereadores em 2016

Deputado Bruno Peixoto discursa durante eleição do diretório Metropolitano do PMDB | Foto: Alexandre Parrode

Deputado Bruno Peixoto discursa durante eleição do diretório Metropolitano do PMDB | Foto: Alexandre Parrode

Reconduzido à presidência do PMDB Metropolitano, o deputado estadual Bruno Peixoto traçou metas para a eleição de 2016 durante a votação, realizada na manhã deste sábado (12/9), na sede da Estadual da legenda.

Em entrevista, ele garantiu que Iris Rezende é o candidato do partido à prefeitura da capital e que, ao contrário do que se tem especulado, o aliado preferencial é o PT, do prefeito Paulo Garcia, e não o DEM, do senador Ronaldo Caiado.

A tese de Bruno Peixoto é que, devido aos grandes serviços prestados e à alta popularidade, Iris tem as maiores chances de vencer. “Nós peemedebistas gostaríamos de ver Iris Rezende retornando à prefeitura para o bem de nossa cidade, porque Goiânia precisa de Iris Rezende, da sua experiência e capacidade”, justificou.

Em um cenário sem o ex-governador, o PMDB voltaria à estaca zero. Isso porque não há outro nome sendo trabalhado. Prova maior disso é que o presidente reconduzido — tido como um dos possíveis pré-candidatos — rechaçou uma eventual disputa.

“Fico feliz de estar sendo lembrado, mas o nome do partido é Iris Rezende Machado” e completou citando praticamente todos os vereadores do partido em Goiânia como possíveis candidatos, além do vice-prefeito, Agenor Mariano, o deputado federal Daniel Vilela [que negou qualquer possibilidade neste sentido ao Jornal Opção], o deputado estadual José Nelto e o ex-deputado Waguinho.

No que tange a alianças, o deputado estadual se diz favorável à manutenção com o Partido dos Trabalhadores, devido à “boa gestão do prefeito Paulo Garcia”. “No entanto, temos muito tempo aí, muitas questões a serem debatidas, então vamos aguardar. Porém, se a definição fosse para ser tomada hoje, estaríamos sim com o PT. É o parceiro prioritário”, concluiu.

Metas 

Bruno Peixoto revelou algumas de suas primeiras ações à frente do diretório Metropolitano do PMDB ainda durante a entrevista. Primeiramente, espera buscar representantes de cada bairro da capital para para formatação de subdiretórios. A expectativa é que cheguem a 500 para que, constituídos, seja realizada uma grande reunião com os representantes.

“O objetivo é captar ideias e necessidades das diversas regiões de Goiânia para construir um grande projeto personificado para cada bairro”, explicou.

A expectativa do presidente reconduzido é que, em 2016, o PMDB consiga eleger de 12 a 15 vereadores. “Não é algo fora da realidade. Temos um quadro muito favorável de filiados e possivelmente sairemos em chapa pura na coligação proporcional”, revelou. Atualmente, o partido tem oito vereadores na Câmara Municipal.

Isso porque o irmão de Bruno, Wellington Peixoto, acaba de se filiar ao PMDB neste sábado (12). O vereador deixou o Pros e agora soma mais um aos seis eleitos em 2012. O oitavo parlamentar é Eudes Vigor, que assumiu uma suplência.

Na carteira de apostas para o ano que vem, ele cita os ex-governistas Alfredo Bambu e Saulo Furtado, bem como Marquinho do Bairro Goyá e Flávia Calil — todos nomes “já experimentados nas urnas”.

Uma resposta para “Presidente, Bruno Peixoto diz que PMDB quer Iris candidato e PT é aliado preferencial”

  1. Avatar Allan disse:

    Lamentável isso,esse PMDB de Goiás é patético. Tem que ficar lançando uma múmia toda eleição,por que não tem capacidade pra se renovar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.