A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), realiza o 1º Afoxé Cultura e Resistência, neste domingo,19, a partir das 13 horas, na Praça do Trabalhador. A programação do evento prevê apresentações culturais de música, dança e teatro com temas relacionados às religiões de matriz africana como Candomblé, Umbanda, Jurema e Quimbanda. Mais de 30 barraquinhas com artesanato e comidas típicas também integram a proposta.

A data do evento foi escolhida para celebração do Dia da Consciência Negra, que é comemorado em 20 de novembro, dia da morte de Zumbi dos Palmares. “Estamos promovendo o Afoxé para valorizar a cultura negra e, principalmente, com o objetivo de desconstruir o preconceito e a intolerância religiosa. A Secult promove e incentiva todas as manifestações culturais e abraça as causas de forma ecumênica. Recentemente fizemos eventos gospel, católico e espírita”, afirma o secretário municipal de Cultura, Zander Fábio.

A realização da primeira edição do Afoxé conta com a organização de duas mulheres de comunidades de matriz africana, são elas a sacerdotisa de Candomblé, Mariléia Lasprilla de Oxumarê, dirigente do Instituto Cultural Movimento Agô e Centro Cultural Asé Dan Fè Èró; e a sacerdotisa de Jurema, Sulamita Gislene Miranda, dirigente da Casa Caboclo Pantera Negra. O encerramento, previsto para às 19 horas, contará com uma atração surpresa.

Leia também:

Sincretismo da Umbanda e do Catolicismo é um legado de resistência cultural no Brasil

Religiosos criticam decisão que não considera umbanda e candomblé religiões