Prefeitos afirmam que sem empenho de Marconi recursos não teriam sido liberados

Prefeito de Anápolis, Roberto Naves disse que Marconi é seu ídolo na política e pediu desculpas por críticas que fez

Foto: Mantovani Fernandes

Os prefeitos de Anápolis e Aparecida de Goiânia, Roberto Naves (PTB) e Gustavo Mendanha (PMDB), respectivamente, reconheceram publicamente o bom trabalho desempenhado pelo governador Marconi Perillo para a viabilização do investimento de R$ 380 milhões em saneamento.

Gustavo considerou o dia de hoje (sexta-feira, o último dia útil do ano de 2017) como “histórico” e disse que o governador realiza “um sonho da população” aparecidense, que todos os anos sofre com a escassez de água. “Água é saúde, é cidadania”, disse Gustavo, ao dizer que Aparecida de Goiânia agradece “extremamente” o governador por não ter medido esforços para garantir uma obra tão estratégica para a cidade – referindo-se ao linhão que vai ligar o Sistema Produtor Mauro Borges a Aparecida de Goiânia.

O prefeito de Anápolis, Roberto Naves (PTB), disse que a população anapolina sofre, há décadas, com a falta de água.  Para ele, essa é a melhor notícia que Anápolis poderia receber no último dia útil do ano. A exemplo do prefeito Gustavo Mendanha, reconheceu o esforço do governador para garantir que o benefício fosse estendido a Anápolis.  Disse que Marconi é o seu “ídolo” na política. Também pediu desculpas ao corpo técnico da Saneago, pelas críticas que fez em relação aos investimentos na expansão do sistema, agora consolidada por meio de convênio da empresa com o Ministério das Cidades e a Caixa Econômica Federal.

Baldy

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, afirmou que os recursos só puderam ser liberados porque Goiás é um estado que cumpriu todas as metas fiscais e reúne as condições necessárias para a contratação de novos investimentos, ao contrário de outros estados da Federação.

O ministro fez referência ao esforço do governador Marconi Perillo, junto ao Ministério das Cidades, para viabilizar os recursos na esfera do programa IN-14, que vence em 31 de dezembro, último dia do ano. “Esse programa, com esses aspectos e especificidades de taxas de juros e prazo para pagamento, se encerra neste 31 dezembro de 2017, daí o esforço para que Goiás pudesse ser abrangido”, contou.

Por fim, Alexandre Baldy reafirmou a dedicação e o esforço do governador, para que pudesse ser celebrado “o bem das famílias, que é o fornecimento de água em suas casas”.

O presidente da Saneago, Jalles Fontoura, afirmou que o investimento, na reta final do ano, é um “presente de Natal muito bom”. Brincou que nunca viu um projeto ser concluído em tão pouco espaço de tempo – de 14 a 29 de dezembro -, clara demonstração do empenho de todos – governo estadual, prefeitos, Ministério das Cidades e Caixa Econômica Federal. “Esse investimento constrói as bases de 2018”, arrematou Jalles.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.