Prefeito Paulo Garcia lança obras da maior maternidade da Grande Goiânia

Com nova unidade, que deve ser concluída em dezembro, todos os partos realizados pelo SUS serão feitos em unidades públicas, sem necessidade de hospitais particulares

| Foto: Divulgação

Durante lançamento das obras, o Secretário de Saúde, Fernando Machado, afirmou que a unidade deverá fazer até 800 partos mensalmente | Foto: Divulgação

O prefeito Paulo Garcia (PT), assinou, nesta terça-feira (16/2), a Ordem de Serviço que dá início às obras da Maternidade Oeste. A unidade, que será localizada no setor Vera Cruz I, vai ser a maior de Goiânia, ocupando uma área de mais de 15 mil metros quadrados. A obra deve ser entregue durante as festividades do fim deste ano.

Na ocasião, Paulo Garcia afirmou que não houve nenhum prefeito da capital que construiu mais unidades de saúde do que ele. “Não priorizamos fazer propaganda de nossas ações, mas não há nenhum prefeito que tenha construído 23 unidades de Saúde”, disse.

O petista lembrou ainda a qualidade da assistência realizada nas outras maternidades da capital, destacando que a Maternidade Oeste deverá seguir o mesmo exemplo. “Recentemente, o Canadá enviou uma equipe para conhecer o Hospital e Maternidade Dona Iris em razão de sua qualidade, e é esse nível que queremos aqui”, afirmou.

Com a construção da unidade, espera-se que todos os partos feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Goiânia sejam feitos em maternidades públicas, sem a dependência de hospitais parceiros. De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), serão investidos cerca de R$ 49 milhões em recursos vindos do Ministério da Saúde e do tesouro municipal.

Após a assinatura, Paulo Garcia ressaltou que a maternidade não será importante apenas para o município de Goiânia, e sim para toda a região metropolitana e Goiás como um todo. “É uma obra fundamental. A grande maioria dos municípios da região não têm maternidades públicas e as mulheres vêm ter seus filhos aqui em Goiânia”, ressaltou.

Participaram da assinatura o secretário municipal de Saúde, Fernando Machado, vereadores e representantes do Conselho Municipal de Saúde e da sociedade civil. A unidade de saúde, segundo a Elmo Engenharia, responsável pela obra, tem previsão para ser entregue no dia 24 de dezembro deste ano.

Segundo Fernando Machado, mais de 40% dos partos do município de Goiânia serão realizados na nova maternidade. “Isso vai ser suficiente para permitir que o poder público faça todos os partos do SUS em maternidades públicas. A partir da construção dessa maternidade, não dependeremos mais da compra de serviço de hospitais privados conveniados para fazer o atendimento materno”, afirmou. O secretário enfatizou que a unidade pode chegar a realizar cerca de 800 partos por mês, quando estiver em pleno funcionamento.

A unidade

Divulgação/Prefeitura de Goiânia

Divulgação/Prefeitura de Goiânia

Segundo a Prefeitura de Goiânia, a Maternidade Oeste vai contar com 179 leitos, sendo 62 de obstetrícia 23 de ginecologia, 31 leitos pediátricos, dez leitos de UTI neonatal, nove leitos de cuidados intermediários UCINCo, cinco leitos UCIN/Canguru, cinco berçários, duas salas de observação pediátrica, duas salas de intercorrência pediátrica, oito leitos de observação, duas salas de emergência, cinco salas de recuperação pós-anestésica e 15 salas de parto normal.

A assistência à saúde da mulher contemplará também programas como prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e prevenção de câncer, além de todas as etapas, desde o pré-natal até a assistência à mulher e ao recém-nascido, serem seguidas sempre priorizando o atendimento humanizado. (Da Secom da Prefeitura de Goiânia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.