Prefeito de Trindade pede diálogo da CPI dos incentivos com empresários

“Se houver mudanças [na política de incentivos], que seja conversado com os empresários”, declarou Jânio Darrot, em sua defesa ao empresariado

Jânio Darrot esteve na oitiva da CPI dos incentivos com José Alves e Humberto Aidar. / Foto: Divulgação

O prefeito do município de Trindade e presidente do PSDB de Goiás, Jânio Darrot, se manifestou em favor de um diálogo da CPI dos incentivos fiscais com os empresários do Estado para evitar o que ele chamou de “clima de insegurança”. A declaração foi dada durante a oitiva do presidente da Associação Brasileira Pró-Desenvolvimento Regional Sustentável (Adial Brasil), José Alves Filho, também presidente da Refrescos Bandeirantes, na Comissão, onde o clima esquentou entre o empresário e o relator, deputado Humberto Aidar (MDB).

Para Darrot, as novas políticas implementadas no que se referem aos incentivos fiscais para empresas em Goiás não podem “afugentar empresários que estejam pensando em vir para o Estado ou que já estejam aqui e pensam em investir mais em Goiás”.

O prefeito afirmou que é a favor da geração de empregos e dos incentivos, e defendeu o grupo da Coca-Cola, de propriedade de José Alves, que, segundo ele, é a maior empresa e a que mais gera empregos em Trindade. “Se houver mudanças [na política de incentivos], que seja conversado com os empresários”, declarou Jânio, em sua defesa ao empresariado.

Durante oitiva a qual esteve presente o prefeito de Trindade, o clima ficou tenso entre José Alves e o deputado Humberto Aidar, que relata a CPI dos incentivos. O deputado trouxe à tona uma nota assinada por José Alves Filho, em que ele afirma que o governo de Goiás e a Alego são “case nacional negativo” por praticarem atos que confrontam a segurança jurídica.

Humberto Aidar pediu respeito à Assembleia, e disse, na ocasião, que a Casa tem sido atacada desde o início por ele.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.