Prefeito de Itumbiara diz que carta aberta que cita boicote a decreto é Fake News

Mensagem tem circulado via aplicativo de mensagens e cita descumprimento das medidas restritivas de combate a Covid-19. Segundo autoridades carta tem sido direcionada por diversos municípios do Brasil

Prefeito de Itumbiara, Dione Araujo | Foto: Robson Henrique/DECOM

Um suposto movimento para que haja um boicote ao decreto com medidas restritivas a Covid-19, estabelecido no município de Itumbiara e em outros municípios pelo país, tem sido divulgado via aplicativo de mensagens. A carta aberta cita que a partir do dia 17 de março não serão respeitadas as normas, além de pedir a implantação do tratamento precoce e transparência em relação a vacinação e distribuição de verbas.

Em Itumbiara, a carta endereçada ao prefeito Municipal Dione Araujo (DEM), foi considerada Fake News pelo próprio gestor. “Essa carta não foi feita por empresários, por exemplo, no nosso decreto que considero rigoroso, mas brando permitindo o direito de todos exercerem a sua atividade econômicas, nenhum segmento ficou fora, mas de todos os segmentos houve restrições. Essa carta, não tem uma assinatura, não tem apoio do comércio, da indústria”, pontua.

Segundo o  prefeito, o município de Itumbiara está com 100% dos leitos de UTI ocupados e o decreto estabelecido teve participação de todos os representantes dos segmentos comerciais e de saúde. “Vivemos um estado democrático de direito, mas não há como dialogar com um segmento que não existe”, completa.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itumbiara (CDL), Orlando Luiz Ferreira afirma que a carta não foi produzida pelos segmentos do município. “Essa carta na verdade ela não é daqui de Itumbiara, isso está sendo veiculado em vários municípios do país. Mas, aqui em Itumbiara não tem nenhum movimento nesse sentido, já vi essa carta sendo veiculada no Rio Grande do Sul, em São Paulo, em várias cidades e alguém pegou e fez a mesma coisa aqui em Itumbiara, mas é uma coisa totalmente sem sentido”, ressalta.

O presidente da Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio), Marcelo Baiocchi disse que não apoia a carta e desconhece quem esteja por trás desse movimento. ” Essa carta, nós não apoiamos, não tem o apoio da Fecomércio, sou contra qualquer ato de desobediência civil, ou seja, o não cumprimento de leis e nós somos cumpridores”, destaca.

Para Baiocchi, os empresários estão indo para o lado do desespero. “Não é justificativa mas, o que eu penso que deve estar acontecendo está indo para o tudo ou nada e isso é muito ruim”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.