Policiais da Rotam vão a júri popular

Eles responderão por homicídio e ocultação de cadáver no caso do desaparecimento de Ueverson Geovane, que sumiu em janeiro de 2005

Decisão partiu do juiz Jesseir de Alcântara| Foto: Reprodução

Decisão partiu do juiz Jesseir de Alcântara| Foto: Reprodução

O juiz Jesseir Coelho de Alcântara proferiu decisão de pronúncia contra quatro policiais das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam). Os acusados respondem por homicídio e ocultação de cadáver de Ueverson Geovane Dias, que sumiu em janeiro de 2005 após abordagem dos policiais.

Os policiais afirmam que não fizeram abordagens no dia em que Ueverson desapareceu e negam ser os autores do crime. No entanto, a Polícia Militar concluiu que eles estiveram no bairro no dia e horário em que testemunhas afirmam tê-los visto.

Ueverson caminhava com a namorada pela rua quando, segundo ela e outras três testemunhas, foi colocado no camburão. Ele tinha passagens na Polícia Militar por tentativa de homicídio, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

* Com informações do TJGO

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.