Polícia prende vereador e mulher por suspeita de tortura e assassinato de Henry Borel, de 4 anos

Conforme levantado pelos investigadores, o vereador tinha o costume de agredir a criança com chutes, rasteiras e golpes na cabeça. As autoridades concluíram também que a mãe de Henry, Monique Medeiros da Costa Almeida, tinha conhecimento dos acontecimentos pelo menos desde o mês de fevereiro

Casal é preso no Rio de Janeiro / Foto: Reprodução/Colagem

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta quinta-feira, 8, o vereador carioca conhecido como Dr. Jairinho (Solidariedade), padrastro do menino Henry Borel Medeiros, bem como a mãe do garoto.

As investigações deram conta de que a criança, de apenas 4 anos de idade, teria sido assassinada, em 8 de março, mediante a tortura e sem qualquer chance de defesa. O casal foi preso por atrapalhar as investigações e por ameaçar testemunhas para combinar versões.

Conforme levantado pelos investigadores, o vereador tinha o costume de agredir a criança com chutes, rasteiras e golpes na cabeça. As autoridades concluíram também que a mãe de Henry, Monique Medeiros da Costa Almeida, tinha conhecimento dos acontecimentos pelo menos desde o mês de fevereiro.

Henry foi encontrado morto na madrugada de 8 de março no apartamento em que Monique vivia com Jairinho. Apesar de alegarem que o menino sofreu um acidente doméstico e que estava desacordado ao encontrá-lo, a exame cadavérico apontou que o oposto.

Segundo os laudos da necropsia, Henry teve uma hemorragia interna e laceração hepática no fígado, causada por uma ação violenta.

O documento diz que a criança tinha múltiplos hematomas no abdômen e nos membros superiores, além de infiltração hemorrágica na parte frontal, lateral e posterior da cabeça. A autópsia apontou para uma grande quantidade de sangue no abdômen, contusão no rim e trauma com contusão pulmonar.

Após todos os especialistas e a própria reconstituição do crime afastarem a possibilidade de acidade, o 2° Tribunal do Júri da Capital expediu os mandados de prisão temporária da casal. Jairinho e Monique não deram declarações ao serem presos, em Bangu, no Rio de Janeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.