Polícia Federal prende ex-presidente da Juceg Rafael Lousa

Prisão ocorreu em uma ação da Operação Dardanários que, mais cedo, prendeu também o ex-ministro e atual secretário de Transportes de São Paulo, Alexandre Baldy

Foto: Bruna Aidar/ Jornal Opção

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta quinta-feira, 6, o ex-presidente da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg), Rafael Lousa (PSDB). A prisão ocorreu em uma ação da Operação Dardanários que, mais cedo, prendeu também o ex-ministro e atual secretário de Transportes de São Paulo, Alexandre Baldy.

A Operação foi deflagrada como um desdobramento da Lava Jato e tem como alvo uma organização de empresários e agentes públicos que cometeram irregularidades em contratações na área da saúde.

Ao todo, seis mandados de prisão e 11 de busca e apreensão são efetivados em Goiânia (GO), Petrópolis (RJ), São Paulo, São José do Rio Preto (SP), e Distrito Federal.

O advogado de Lousa, Tadeu Bastos, informou que ele não tem participação nos eventos ocorridos e que ele coopera com as investigações.

Por meio de nota, o PSDB, partido de Lousa afirmou que nunca teve ciência de atos ilícitos praticados por ele e que acredita na inocência do ex-presidente da Juceg.

Nota de esclarecimento da defesa de Rafael Lousa:

Rafael Lousa prestou todos os esclarecimentos, respondeu a todas as perguntas elaboradas pelo delegado de polícia e franqueou acesso ao seu celular informando a senha. Não tem nenhum envolvimento com os fatos que estão sendo narrados e provará isso no decorrer do inquérito.”

Tadeu Bastos advogado constituído

Veja a nota na íntegra:

Sobre a prisão de Rafael Lousa, o PSDB Goiás tem a informar:

Durante os governos do PSBD, em que Rafael Lousa ocupou cargos na Secretaria da Indústria e Comércio e na Juceg, jamais tivemos notícia de atos de ilicitude ou ilegalidade por parte dele.

O PSDB acredita, portanto, que Rafael Lousa irá demonstrar sua inocência e prestará todas as informações necessárias para elucidar os fatos ora investigados, colaborando com a Justiça.

PSDB Goiás

A Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg) também se pronunciou por meio de nota. Veja:

Nota de esclarecimento

Em relação a Operação Dardanários, que foi deflagrada na manha desta quinta-feira (6/8), pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal, e que culminou na prisão, dentre outros, do ex-presidente da Junta Comercial do Estado de Goiás Rafael Lousa, dentre outros detidos, a Juceg esclarece que tratam-se de contratos firmados na gestão do ex-governador Marconi Perillo, datados do anos de 2013, com a Fundação de Apoio Fiotec.

A Juceg esclarece ainda que não foi alvo de nenhum mandado por parte da PF e tampouco por parte do MPF na data de hoje e que há, em vigência, desde 2019, quando a nova gestão do Governo de Goiás assumiu, 25 contratos atuais com empresas, nenhuma delas citadas na operação.

Por fim, ressaltamos que a atual gestão da Juceg, em consonância com o Governo do Estado, não coaduna com direcionamento de contratos ou qualquer outra atividade ilícita, pautando todos os seus atos pela transparência, legalidade e impessoalidade.

Junta Comercial do Estado de Goiás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.