Polícia e Segplan suspendem concurso para delegado substituto no Estado

Participantes do certame estranharam notas muito altas dos aprovados, que tiraram mais de 90 na prova. Cancelamento definitivo vai depender da secretaria 

A Polícia Civil (PC) de Goiás anunciou, nesta segunda-feira (13/3), a suspensão do concurso para delegado substituto no Estado. A decisão foi tomada em parceria com a Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento (Segplan) depois que foram descobertas fraudes no processo seletivo, realizado em 2016. Cinco pessoas foram presas nesta segunda-feira por envolvimento no caso.

As investigações da PC começaram quando eles receberam um e-mail denunciando as notas muito altas dos aprovados, superiores a 90. Os presos são suspeitos de cobrar de R$ 120 a R$ 365 mil por vaga — O grupo também é acusado de fraudar processos seletivos também em outros estados.

Um dos presos seria o responsável por aliciar inscritos e os outros quatro eram candidatos no processo. De acordo com a polícia, os detidos são pessoas que fariam parte de famílias ligadas ao Poder Judiciário de Goiás. Agora, cabe à Segplan decidir se anulará ou não o processo seletivo.

Lançado em novembro de 2016, o edital disponibilizava 36 vagas de delegado substituto com salário de R$ 15.250,02 para 40 hora semanais. Foram considerados aptos a participar da seleção candidatos que possuem bacharelado em Direito. O concurso tem oito etapas: provas objetivas, provas discursivas, avaliação médica, avaliação de aptidão física, exame psicotécnico, avaliação de vida pregressa e investigação social, curso de formação profissional e avaliação de títulos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.