Polícia denuncia Najila por extorsão e calúnia no caso Neymar

A modelo brasileira disse em depoimento que o jogador do Paris Saint-Germain a estuprou durante encontro em Paris

Najila filmou o encontro com Neymar em um hotel da capital francesa | Foto: Reprodução

A Polícia Civil de São Paulo decidiu indiciar a modelo brasileira Najila Trindade na Justiça da capital paulista por extorsão, denúncia caluniosa e fraude processual no caso em que acusou o jogador do Paris Saint-Germain, Neymar Jr., de estupro durante um encontro em um hotel da capital francesa, Paris, no dia 15 de maio deste ano. 

“Com base no conjunto probatório reunido durante as investigações, a delegada decidiu pelo indiciamento de Najila e Estivens Alves seu ex-companheiro, pelo crime de fraude processual (art. 347, parágrafo único, CP). Decidiu, ainda, por indiciar Alves pelo artigo 218-C, por divulgar material com conteúdo erótico de n. para um repórter, em troca de publicações suas na internet”, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo.

O ex-marido da modelo, Estivens Alves, foi denunciado por fraude processual e divulgação de conteúdo erótico. 

A incriminação contra Najila acontece após a conclusão de dois inquéritos na 11º Delegacia de Polícia Civil em Santo Amaro (SP) envolvendo o jogador brasileiro.

Outros inquéritos, que tramitam em segredo de Justiça, foram encaminhados ao Tribunal de Justiça de São Paulo para análise de representantes do Ministério Público e do Poder Judiciário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.