Agentes investigam associação criminosa por sonegação de impostos que chegam a R$ 300 mil

Todos os 08 mandados de busca e apreensão foram devidamente cumpridos, sete deles em Goiânia e um em Morrinhos

A Polícia Civil deflagrou a Operação Cítrico, na manhã de hoje, 17. A operação tem como alvo associação criminosa composta por empresários, contadores e também por um ex-servidor da Junta Comercial (Juceg) de Morrinhos. Ao todo, seis pessoas são investigadas.

Já foram cumpridos 08 mandados de busca e apreensão, sete deles em Goiânia e um em Morrinhos. O empresário, alvo principal da operação, foi preso ainda em flagrante pelo crime de posse ilegal de arma de fogo.

Segundo aponta as investigações, a associação criminosa teria fraudado contrato social de uma empresa do transporte de cargas, lançando como sócio proprietário terceira pessoa de boa-fé (laranja). Assim, eles sonegavam os impostos e livravam o real proprietário da empresa de arcar com os pagamento dos tributos devidos. Os suspeitos responderão por crime tributário, falsidade documental e associação criminosa. Se julgados, eles podem pagar os tributos sonegados acrescidos de multa.

Durantes os mandados de busca, foram apreendidos aparelhos de telefone celular, computadores e documentos que servirão de fonte de prova sobre a prática dos delitos investigados. Além disso, a Secretaria da Economia participou das diligências por meio de auditores fiscais. Eles apreenderam dados de sistemas de informática dos suspeitos, os quais propiciarão auditoria completa para estabelecer o montante a título de tributos devidos. O valor já soma mais de R$ 300 mil.

A investigação teve o apoio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT) e da Secretaria Estadual da Economia, a Operação Cítrico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.