“PMDB só olha para o próprio umbigo”, critica Lucas Vergílio

Deputado federal do Solidariedade lamenta falta de compromisso dos aliados e garante que já tem negociações avançadas com outros grupos

Deputado federal Lucas Vergílio

Deputado federal Lucas Vergílio

A relação entre os então aliados PMDB e Solidariedade azedou nesta sexta-feira (29/7), após a Executiva Metropolitana peemedebista decidir, por unanimidade, que lançará chapa pura de vereadores, probindo coligação proporcional.

A decisão foi tomada a contragosto do próprio presidente municipal e pré-candidato, Bruno Peixoto, que criticou ao Jornal Opção a decisão: “Me sinto desestimulado. Priorizaram a chapa proporcional e isso atrapalha até a união da oposição ao governo. Tenho que avaliar se vale a pena colocar meu nome quando já existe veto à coligação.”

Único deputado federal do Solidariedade e filho do principal nome da sigla em Goiás, Lucas Vergílio lamentou posicionamento dos aliados em entrevista à reportagem. Para ele, mais uma vez, “é o PMDB sendo o PMDB”. “Tomaram decisão pensando apenas neles mesmos. PMDB só olha para o próprio umbigo e isso é complicado… Portanto, quem não quer estar no grupo são eles”, completou.

Nesta semana, os aliados da oposição de 2014 (PMDB-DEM-PRP-SD) se reuniram algumas vezes e definiram que iriam caminhar juntos na disputa pela prefeitura de Goiânia em 2016 — inclusive, o candidato sairia de dentro dos quadros da sigla, afastando as especulações de apoio a outro pré-candidato já posto. Bruno Peixoto era o mais cotado.

No entanto, com a decisão desta sexta, Lucas Vergílio avalia que não há mais tal compromisso. “Não tenho nada em relação ao Democratas e o PRP, só não vamos estar com o PMDB. Tocaremos nosso projeto, que já está consolidado, com outro partido. As conversas já estão bem adiantadas”, explicou.

Apesar de não ter revelado quais seriam, a expectativa é que o Solidariedade apoie Vanderlan Cardoso, do PSB. “Não entraremos em nenhuma aventura. Buscamos um projeto sério, consistente e com bastante planejamento”, arrematou.

Conexão

Um dos pontos mais destacados por Lucas Vergílio é o “projeto maior” que os partidos estavam construindo. De acordo com ele, não se tratava apenas das eleições municipais de 2016, mas, também, da disputa de 2018 — uma articulação que superava questões locais.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.