PMDB desiste de candidatura própria e vai apoiar adversário histórico de Humberto Machado

Articulações de Maguito Vilela garantiram indicação do vice na chapa de Victor Priori (DEM) — ferrenho crítico do atual prefeito peemedebista 

Victor Priori e o prefeito Humberto Machado: DEM e PMDB juntos em Jataí. Ou nem tanto | Fotos: reprodução/ Alego/ Prefeitura de Jataí

Victor Priori e o prefeito Humberto Machado: DEM e PMDB juntos em Jataí. Ou nem tanto | Fotos: reprodução/ Alego/ Prefeitura de Jataí

O PMDB desistiu de lançar candidato próprio em Jataí, um dos principais redutos do partido em Goiás, para apoiar o candidato do DEM nas eleições de 2016.

As negociações, que foram comandadas pelo prefeito de Aparecida de Goiânia e ex-governador, Maguito Vilela, estão praticamente acertadas e já há até o nome do vice que será indicado pelo PMDB, o médico Hélio Caetano.

Mesmo a contragosto do atual prefeito, Humberto Machado, e de lideranças peemedebistas da cidade, o entendimento foi de que, sem um candidato competitivo e de olho no jogo de 2018, o mais prudente seria apoiar o agora democrata Victor Priori.

Empresário gaúcho riquíssimo, Priori é ex-PSDB, pelo qual já foi deputado e candidato a prefeito derrotado por quatro vezes. Segundo informou a coluna Bastidores por diversas vezes, Maguito Vilela articulou, desde o começo, a aliança. Isso porque pode ser candidato a governador na próxima eleição e planeja contar com o apoio da estrutura política e, sobretudo, financeira do democrata.

Contudo, interlocutores na cidade afirmam que o clima não está nada bom entre o prefeito e o ex-governador. Apostam, inclusive, que há o risco real de — apesar de ter conseguido que um aliado fosse o nome à vice — Humberto Machado cruzar os braços.

O Jornal Opção confirmou, em uma ligação que durou 21 segundos, que o prefeito não está dos mais empolgados com a eleição deste ano. Segue abaixo a transcrição na íntegra do que ele disse:

“Vou deixar os líderes do partido comentarem eleição, eu não vou falar nada não, estou fora da eleição.”

Bem avaliado e eleito por quatro vezes — isso mesmo, esta é a quarta vez que ele administra Jataí –, Humberto Machado guarda ressentimento de Victor Priori. Durante as duas vezes que o derrotou, o peemedebista foi muito atacado. Considera que teve sua honra e a de sua família ferida pelo ex-tucano.

Se bater o pé e não apoiar mesmo o DEM, há um sério risco dos planos de Maguito e Priori não se concretizarem. Muitos acreditam que o PMDB é que tem força em Jataí, contudo, há de se levar em conta o trabalho de Humberto Machado.

Basta ver pela eleição de 2014, quando ele se recusou a apoiar Iris Rezende. Resultado: o governador Marconi Perillo (PSDB) ganhou do decano peemedebista. No primeiro e no segundo turno.

Candidato biônico 

O empresário e ex-secretário Geneilton Assis, que era o então nome do PMDB à prefeitura de Jataí — defendido por Daniel Vilela e o próprio Humberto Machado –, jogou a toalha na semana passada.

Considerado por muitos como candidato biônico do prefeito (por ter pouquíssima representatividade política, apesar de sério e competente), ele escreveu uma carta em que demonstra certa mágoa com aqueles que não  “vestiram a camisa” de sua pré-campanha.

“Essa minha decisão é pautada em princípios éticos, morais e acima de tudo por ter um Deus no coração que não me permite fazer nada que não esteja de encontro ao que é correto. Nesses termos não concordo com a necessidade de ter que levantar valores financeiros a qualquer custo, para financiar uma campanha, sendo que meu objetivo principal é servir. O sistema político brasileiro está errado. Sacrificar pessoas, fazer acordos para poder servir?”, escreveu ele.

Jornal Opção tentou falar com o deputado federal e presidente do PMDB Goiás, Daniel Vilela, mas a assessoria informou que ele está em Brasília, focado na pauta da Câmara — a renegociação da dívida dos Estados.

Candidato do consenso

Há quem diga que o problema todo na eleição de Jataí tem nome e sobrenome: Leandro Vilela. Apontado como franco favorito e sucessor natural do prefeito Humberto Machado, o ex-deputado federal preferiu abandonar a carreira política para trabalhar com o megaempresário (e ex-peemedebista) Júnior Friboi.

Como fica?

Com o cenário desenhado, a disputa pela prefeitura de Jataí deve ter três candidatos: Victor Priori (DEM), “apoiado” pela base municipal; Vinícius Luz (PSDB), nome da oposição, tido como jovem e íntegro; e José Herculano (Pros), empresário do ramo de combustíveis apoiado pelo PT, praticamente extinto na cidade.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.