PMDB decide proibir coligação na chapa de vereadores e Solidariedade deixa aliança

Após reunião da Executiva Metropolitana, peemedebistas optam por lançar chapa pura — o que prejudica união 

Bruno Peixoto e Lucas Vergílio: PMDB e SD separados | Fotos: Y. Maeda / Luis Macedo

Bruno Peixoto e Lucas Vergílio: PMDB e SD separados | Fotos: Y. Maeda / Luis Macedo

A Executiva Metropolitana do PMDB de Goiânia decidiu, nesta sexta-feira (29/7), proibir a coligação com outros partidos na chapa proporcional. Assim, os candidatos a vereador peemedebistas disputarão em “chapa pura”.

A decisão unânime foi tomada a contragosto do presidente e pré-candidato a prefeito, Bruno Peixoto. Em entrevista ao Jornal Opção, ele afirma que, sem a possibilidade de coligar, a candidatura majoritária ficará prejudicada.

“O partido defende uma candidatura própria e espera que eu seja candidato. No entanto, me sinto desestimulado. Priorizaram a chapa proporcional e isso atrapalha até a união da oposição ao governo. Tenho que avaliar se vale a pena colocar meu nome quando já existe veto à coligação”, argumentou.

De fato, o Solidariedade já avisou que não caminhará com o PMDB em 2016. Isso porque a sigla do deputado federal Lucas Vergílio esperava uma aliança na chapa de vereadores. Sem isso, não há possibilidade de acordo. “Infelizmente, o PMDB só pensou nele”, lamentou o parlamentar federal.

Consta que o motivo da decisão peemedebista reside no fato de que o Solidariedade teria dois fortes pré-candidatos (Denício Trindade e Joãozinho Guimarães), o que “atrapalharia” os companheiros de chapa.

O PMDB lançará, então, 53 candidatos a vereador, sendo 37 homens e 16 mulheres.

Futuro incerto

A decisão do Solidariedade surpreendeu aliados, que já haviam acertado nesta semana o repeteco da aliança de 2014 — SD, PRP, PMDB e DEM — na disputa pela capital e cidade mais populosa do Estado. Ao que tudo indicava, seria lançado um candidato do grupo. A tendência era que os peemedebistas fossem cabeça de chapa.

Armando Vergílio, pai de Lucas, foi candidato a vice na chapa de Iris Rezende (PMDB) ao governo de Goiás.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.