Pix passará a ter limite de transação e horário que deverá ser definido por cliente

Medidas visam aumentar a segurança do modelo de pagamento

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, afirmou que serão anunciadas medidas que visam aumentar a segurança do Pix, como por exemplo, a definição de um limite de transação e um horário que deverá ser estabelecido pelo cliente. Outras medidas também estão sendo analisadas e deverão ser anunciadas em breve.

Na última quinta-feira, 26, os bancos encaminharam ao Banco Central um pedido de flexibilização das regras do Pix, para que as ações de criminosos que se valem dessa ferramenta para aplicar golpes possam ser dificultadas.

O pedido veio após a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo afirmar que houve um aumento de 40% nos roubos de sequestro-relâmpago e a Polícia Civil associou o dado ao modelo de pagamento, Pix. Pois, roubando celular, por exemplo, o criminoso consegue ter acesso aos dados da vítima como senhas de bancos e realizar a transferência de forma mais rápida.

Além disso, os crimes cibernéticos como clonagem de telefone e conta do WhatsApp também vem aumentando muito facilitando o roubo de dinheiro via Pix.

Casos em Goiás

Em maio, uma moradora de Luziânia, a servidora pública Viviane Honorato, afirmou ter perdido cerca de R$65 mil em 24 horas através do golpe via Pix. Em Rio Verde, no mesmo mês sete denúncias foram feitas alegando o golpe e cerca de R$100 mil foi o prejuízo, segundo a Polícia Civil.

O que muda com as novas medidas:

  • As operações entre pessoas físicas, transferências interbancárias, cartões de débito e liquidação de TEDs, ficam limitadas entre R$1.000 e apenas nos horários das 20h ás 6h;
  • Para solicitar um prazo de aumento do limite, será necessário esperar o tempo de 24 horas e máximo de 48 horas impedindo o aumento imediato;
  • Os clientes poderão escolher os limites desejados de valores e horários;
  • Usuários poderão cadastrar previamente contas que poderão receber Pix acima dos limites estabelecidos em um prazo de 24h;
  • Passa a ser obrigatório o mecanismo de marcação no Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT) de contas em relação às quais existam indícios de utilização em fraudes no Pix, inclusive no caso de transações realizadas entre contas mantidas no mesmo participante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.