Petição online busca verba para realização da 8ª Aldeia Multiétnica, na Chapada dos Veadeiros

Evento ocorre ao mesmo tempo em que o 14º Encontro de Culturas Tradicionais. Neste ano, não houve patrocínio. Até o momento, pouco mais de R$ 10 mil foram doados

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma petição online busca arrecadar recursos suficientes para a realização da 8ª Aldeia Multiétnica, evento que ocorre paralelamente ao 14º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, na vila de São Jorge, a 35 km de Alto Paraíso, entre 19 de julho e 2 de agosto.

A Aldeia Multiétnica foi criada em 2007 e desde o início contou com a participação de representantes de tribos indígenas kayapó mebêngokrê (Pará), krahô (Tocantins), kamayurá, yawalapiti e kuikuro (do Parque Indígena do Xingu), dessana (Amazônia), fulni-ô (Pernambuco), ashaninka, kaxinawá, kuntanawá, yawanawá (Acre), xavante (Mato Grosso), entre outros.

O dinheiro seria justamente para bancar o transporte e a alimentação deles, principalmente, além de cobrir gastos com equipe, manutenção e registro do evento. Em um espaço homônimo, às margens do rio São Miguel, os indígenas constroem casas típicas, fazem rituais e repassam sabedoria aos participantes, de forma gratuita.

Oca construída por tribo indígena durante Aldeia Multiétnica, ao lado do Rio da Lua

Oca construída por tribo indígena durante Aldeia Multiétnica, ao lado do rio São Miguel, em foto de 2012

Angústia

O idealizador do encontro, Juliano Basso, expressou sua preocupação pela possibilidade da não realização da aldeia. “Este ano, não sei exatamente por quais fatores, não conseguimos patrocínio ou apoio para a realização da VIII Aldeia Multiétnica. Talvez por ser um ano com tantos acontecimentos, como o torneio mundial de futebol realizado no país e as eleições”, analisou ele, em postagem na página oficial do evento no Facebook.

O contato com os índios também foi ideia de Fernando Schiavini, indigenista da Fundação Nacional do Índio (Funai). O objetivo era o de tornar a cultura do Brasil mais acessível, com o incentivo de discussões e maior visibilidade às questões indígenas.

Basso: campanha para conseguir dinheiro foi maciça, mas contrapartida foi pequena

Basso: campanha para conseguir dinheiro foi maciça, mas contrapartida foi pequena

Coordenador geral do evento, Basso sugeriu que a ideia de buscar o financiamento coletivo poderia ser uma alternativa, já que o endereço da rede social conta com mais de 40 mil seguidores. A proposta inicial era a de que cada um contribuísse com R$ 10, no entanto, o engajamento foi baixo, apesar das recompensas oferecidas.

Até este domingo, 197 pessoas colaboraram com a campanha –– o que corresponde a R$ 10.130 mil arrecadados –– lançada no Catarse, site de petições. “Fizemos uma divulgação massiva da campanha e fica a dúvida: as pessoas não viram, não tomaram ciência, ou não acharam importante participar efetivamente dessa história?”, questionou ele, que disse estar aflito com a situação. Na planilha apresentada por Basso (confira abaixo), estava previsto o recebimento de R$ 80 mil e a respectiva destinação do montante. A campanha foi iniciada em 10 de junho e dura até o próximo dia 20.

Planilha detalha os caminhos que o dinheiro doado irá fazer | Foto: Reprodução/Encontro de Culturas

Planilha detalha os caminhos que o dinheiro doado irá fazer | Foto: Reprodução/Encontro de Culturas

Em edições passadas as comunidades indígenas se mobilizavam desde o início do ano para participarem do evento. Mas diante desse panorama, a atração paralela corre o risco de não acontecer. Conforme o texto da petição, pela primeira vez a organização se vê obrigada a cobrar uma taxa para participação dos visitantes na aldeia. “Todos os anos, parte do patrocínio é revertido diretamente aos povos indígenas, e, em 2014, esta foi a melhor forma que encontramos para manter essa colaboração”, relata o comunicado.

Ambos os eventos acontecem em um ambiente rodeado pela natureza preservada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Nesta época, o clima é seco, mas a flora fica verde e pulsante. Os banhos refrescantes nas diversas cachoeiras são garantidos ao final das trilhas. E com a realização da do Encontro Tradicional e da Aldeia Multiétnica, outro banho deve ser constatado: o da cultura.

Para mais informações, clique aqui.

Notícias relacionadas:
A emoção e beleza do Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros
Vila de São Jorge sedia o 13° Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.