Pesquisas da Comissão Estadual da Verdade serão divididas em quatro temas

As quatro áreas foram definidas na última reunião do grupo e visam aperfeiçoar os trabalhos

Os estudos da Comissão Estadual da Verdade, Memória e Justiça serão divididos em quatro temas: Desaparecidos; Contextualização do golpe civil-militar em Goiás e intervenção militar; O papel das instituições durante o golpe militar; e Comunidade de informação em Goiás. As quatro áreas foram definidas na última reunião do grupo e visam aperfeiçoar os trabalhos, conforme o vice-presidente da CMVJ, Fabrício Bonfim.

“Se trata de um período extenso e cheio de temas para serem analisados dentro da realidade de Goiás. Este esforço resultará na formulação de um relatório mais conciso”, afirma Bonfim. Os trabalhos contarão com a participação da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária e Justiça (SAPeJUS), por meio da Superintendência de Direitos Humanos (SDH) do Ministério Público de Goiás, Universidade Federal de Goiás; Universidade Estadual de Goiás; Pontifícia Universidade Católica de Goiás; e Conselho Estadual de Direitos Humanos.

A próxima reunião da comissão está agendada para o dia 16 de maio, às 8h30, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO).

Examinar e esclarecer

A CEMJV foi instaurada no dia 27 de março pelo governador Marconi Perillo (PSDB) com a tarefa examinar e esclarecer, no âmbito regional, como se deram as violações às liberdades democráticas em Goiás, durante o período de 1946 a 1988.

A comissão é composta por representantes de 17 instituições e é presidida pelo secretário de Estado de Administração Penitenciária e Justiça, Edemundo Dias de Oliveira. Durante solenidade no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, Marconi ressaltou a importância da instalação da CEMVJ. Para o governador, ela poderá revelar incidentes de abuso de poder praticados por agentes da repressão durante o período compreendido.

Deixe um comentário