Pesquisas científicas receberão mais de R$ 1 mi em recursos

Cada pesquisador terá até R$ 50 mil disponibilizados para dar prosseguimento aos estudos na área

 | Foto: Wagnas Cabral

Governador autorizou repasse a pesquisadores na área da saúde | Foto: Wagnas Cabral

O governador Marconi Perillo (PSDB) autorizou no início da tarde desta terça-feira (22/12) o repasse de recursos para a continuidade de projetos de pesquisa na área de saúde realizados por cientistas das três maiores universidades de Goiás.

Será destinado R$ 1,068 milhão (R$ 400 mil do Tesouro Estadual) para 32 pesquisas vinculadas ao Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS), do Ministério da Saúde, e coordenadas pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg).

Esta é a segunda parcela de recursos entregue a projetos realizados por professores das Universidades Federal de Goiás (UFG), Estadual de Goiás (UEG) e Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC). A primeira parcela foi liberada há 12 meses.

Cada um deles vai receber entre R$ 20 e 50 mil para o andamento de pesquisas que visam buscar o tratamento e chegar a soluções dos problemas que demandam o SUS, como os gerados pelo mosquito Aedes Aegypti, informou o governador.

Marconi afirmou que pretende se reunir novamente com os 32 pesquisadores contemplados pelos recursos para avaliar sobre as metas atingidas e as consequências dessas pesquisas para a sociedade.

A presidente da Fapeg, Maria Zaíra Turchi, por sua vez, elogiou os contemplados pelo programa e agradeceu o governador pelo apoio. “O PPSUS é, sem dúvida, um programa que vem para agregar”, disse.

Além dos pesquisadores, estiveram no evento representantes das três universidades e o superintendente de Ciência e Tecnologia do Estado, Mauro Faiad.

PPSUS

O PPSUS foi criado pelo Ministério da Saúde com o objetivo de financiar pesquisas em temas prioritários para a saúde da população brasileira, bem como contribuir com o aprimoramento do Sistema Único de Saúde.

O programa busca ainda promover o desenvolvimento científico e tecnológico em saúde em todos os estados da federação, segundo um modelo de gestão descentralizada e participativa, aproximando os campos da pesquisa e da atenção à saúde. (com informações do Gabinete de Imprensa)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.