Pesquisa aponta que 59,4% dos brasileiros são favoráveis ao impeachment de Dilma

O mesmo levantamento, realizado pelo Paraná Pesquisas, mostra que somente 35,5% dos entrevistados têm interesse em participar das manifestações pelo afastamento da presidente da República em 15 de março

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff sanciona o novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação. A proposta aproxima as universidades das empresas (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Maioria defende afastamento de Dilma Rousseff (PT) do cargo de presidente da República | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira (29/1) pelo Instituto Paraná Pesquisas mostra que 59,4% dos brasileiros defendem o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Outros 38,2% são contra o afastamento da petista do cargo.

O levantamento realizado pelo Paraná Pesquisas ouviu 2.004 brasileiros em 20 estados entre os dias 22 e 26 de janeiro em 160 municípios. Com grau de confiança de 95%, a pesquisa tem dois pontos percentuais de erro para mais ou para menos em seu resultado.

Dos brasileiros maiores de 16 anos entrevistados, 57,4% dos homens são favoráveis ao impeachment e 40,9% contra. Entre as mulheres, as que são a favor do afastamento de Dilma chegam a 61,1%, enquanto as contrárias ao processo ficam nos 35,9%.

Enquanto no quadro geral 2,4% dos entrevistados não soube se posicionar contra ou a favor do impeachment, 1,7% dos homens e 3% das mulheres foi a porcentagem por sexo dos que não responderam à pergunta.

Faixa etária

A maior defesa do impeachment vem da faixa etária de 25 a 34 anos, com 63,1% a favor do afastamento da presidente. As pessoas ouvidas com 60 anos ou mais representam a menor porcentagem de apoio ao impedimento: 53,3%.

Quando divididos por classes sociais, os que se declararam das classes A e B somam 62,2% dos defensores do impeachment da petista. Entre os integrantes das classes D e E, os favoráveis ao afastamento de Dilma são 54,1% dos entrevistados.

No Nordeste, 50,5% dos ouvidos pela pesquisa querem o impeachment. Norte e Centro-Oeste foram computados juntos pela pesquisa, com 61,3% defendendo o afastamento de Dilma. Na região Sul, o impedimento da presidente recebe apoio de 61,1% dos entrevistados pelo Paraná Pesquisas e no Sudeste atinge sua maior porcentagem, 63,5%.

Protestos de março

A realidade mostrada pela pesquisa muda quando o assunto é o interesse em participar de protestos que pedem o impeachment da presidente Dilma. Dos entrevistados, 49% disseram que não participarão das manifestações pró-impedimento marcadas para 15 de março.

Entre os ouvidos pelo levantamento, 35,5% afirmaram que irão às ruas pedir o afastamento da petista. Os que ainda não sabem se irão e responderam que talvez participem somam 12,6%. Ainda há 2,9% que não souberam responder.

Os 35,5% que disseram ir aos protestos de 15 de março somados aos 12,6% que talvez irão, os motivos que estimulam a participação nas manifestações são a corrupção (38,9%), inflação e situação econômica (19,4%), aumento das tarifas, entre elas transporte, gasolina, energia e outras (16,6%), as mentiras do governo federal (11,7%), crime das pedaladas fiscais (4,3%) e outros assuntos (1,7%).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.