Pediatra da rede municipal é internado com suspeita de H1N1 em Goiânia

Segundo funcionários, Cais Campinas, local de trabalho de Luiz Sérgio, apresenta falta de insumos e pacientes isolados

Pediatra Luiz Sérgio – Foto: Reprodução

O pediatra Luiz Sérgio de Aquino Moura, de 57 anos, que atende no Cais Campinas, em Goiânia, está internado em estado grave no Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), com suspeita de H1N1. Conforme informações do boletim médico do início da noite de sexta-feira (30/03), Luiz Sérgio respira com a ajuda de aparelhos.   

Colegas que trabalharam no último plantão do médico no Cais Campinas, na quarta-feira (28), contaram que ele estava bem antes da internação. “Passei por ele no corredor e nos falamos no consultório sobre prescrições. Ele estava bem, normal como todos os dias”, detalhou uma técnica de enfermagem.

A mesma funcionária relata que, neste plantão, havia pelo menos quatro pacientes isolados com suspeita de H1N1 no centro médico. “Mesmo assim, faltavam máscaras, luvas pequenas e médias, abocaut 24, atadura”, denuncia. Segundo ela, até soro faltou. “Estou tossindo e com dores nas costas. Isso está me deixando com muito medo”, disse ao Jornal Opção.

O pediatra Luiz Sérgio é conhecido no Cais Campinas como um médico atento e brincalhão com as crianças e não costumava reclamar dos problemas por que passam os profissionais da Saúde no Município. “Ele se preocupa muito com as crianças que atende, tentando fazer além do que a Prefeitura consegue oferecer”, conta uma médica, que assume: “Estamos todos com medo”.

A reportagem procurou o Hugol, que informou o quadro de saúde do paciente, mas não confirmou o diagnóstico de H1N1. A Prefeitura de Goiânia ainda não respondeu ao contato a respeito da situação do médico e nem da falta de insumos no Cais Campinas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.