Paulo Garcia está confiante na aprovação da Planta de Valores. Vereadores continuam incertos

Prefeito desconversa sobre crise na base e afirma que audiência foi adiada para “aprimorar o projeto”. Explicação não convence alguns vereadores

(Foto: Fernando Leite/Jornal Opção)

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Após ter adiado mais uma vez a audiência pública para discutir a Planta de Valores do Município de Goiânia, o prefeito Paulo Garcia (PT) se diz confiante na aprovação do projeto. Em entrevista ao Jornal Opção Online, o petista garantiu que a remarcação do encontro, que seria realizado na tarde desta quinta-feira (6/11), não teve nada a ver com insatisfação da base. “Estamos aprimorando o projeto”, declarou.

Paulo, que vem enfrentando crises na Câmara Municipal, justamente pelo projeto de aumento de IPTU e ITU, proposto e aprovado com dificuldade, desconversou sobre os problemas que vêm sendo evidenciados – em especial, pelo atraso na apresentação dos reajustes da planta. “Não há nada de errado. Vamos chegar a um consenso, isso eu garanto. Só não tem como agradar todo mundo”, reconheceu.

Vereador Carlos Soares (PT) (Foto: reprodução/Site Oficial)

Vereador Carlos Soares (PT) (Foto: reprodução/Site Oficial)

No entanto, vereadores do próprio PT afirmam que ainda nem sequer tiveram acesso ao estudo. Carlos Soares relatou ao Jornal Opção Online que “não está sabendo de muita coisa”. “Estamos com muita dúvida, não temos posição clara, mas temos que achar uma solução”, afirmou. Questionado sobre qual poderia ser essa solução, o vereador desconversou e respondeu que “alguns valores estão distorcidos, um pouco acima do que a gente acha que é justo”. Ele também relata que não houve encontros com o prefeito: “o presidente [Clécio Alves (PMDB)] e a líder [Célia Valadão (PMDB)] que têm nos mantido informados”.

Já Paulo Magalhães (SD), também da base aliada, informou que também não se encontrou com o prefeito. “Tivemos uma reunião com secretários e a assessoria do Paulo [Garcia]. Avisamos que não vamos votar uma planta que venha a sacrificar a classe trabalhadora”, contou. Para ele, o aumento é legitimo, se for destinado, majoritariamente, aos “mais ricos”. “Quem mora no Aldeia do Vale pode pagar um IPTU mais caro, então deve pagar. A ação da prefeitura é justa, sou favorável… É preciso ter caixa”, resumiu.

Outro lado

eliass

Vereador Elias Vaz (PSB) (Foto: reprodução/ Site Oficial)

Crítico ferrenho da Planta de Valores do Paço por defender a tese de que não faltam recursos e, sim, gestão na prefeitura, o vereador Elias Vaz (PSB) não acredita na versão do Paço e afirma categoricamente que o projeto já está pronto desde agosto. “A planta está pronta há muito tempo. A comissão fez o trabalho e a entregou em agosto. Não há nada a ser aprimorado… É uma decisão da Prefeitura de ficar protelando o máximo possível a divulgação para esconder os valores”, lamentou.

O pessebista critica a postura do prefeito Paulo Garcia e o acusa de manter sigiloso um documento que é público. “Aprovamos um requirimento de minha autoria aqui na Casa solicitando os valores e para que estes sejam disponibilizados no site da Prefeitura. O prefeito está tratando como segredo de estado algo que deve ser de domínio público”, acrescentou. Questionado sobre os possíveis motivos para tanto, ele se diz incerto: “não descobrimos o real motivo ainda, mas tem a ver com os valores. Ouvimos de vereadores aliados que alguns chegam a absurdos 4.000%. Isso mesmo, quatro mil por cento”.

O Jornal Opção Online tentou contato com a vereadora e líder da prefeitura na Câmara, Célia Valadão, bem como com o presidente da Casa, vereador Clécio Alves (ambos do PMDB), mas não obteve sucesso.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.