Paulo de Jesus sobre Caiado: Está rasgando sua história e a população está atenta a isto

Tucano rebateu críticas do democrata, que na última quinta-feira anunciou que representará contra o governador Marconi Perillo por improbidade administrativa por uso da máquina para conquistar apoio de prefeitos da oposição

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O anúncio do deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) de que representará contra o governador Marconi Perillo (PSDB) na próxima semana repercutiu mal entre governistas e foi duramente rebatido pelo presidente do PSDB regional, Paulo de Jesus. Em entrevista ao Jornal Opção Online na manhã desta sexta-feira (20/6), o tucano creditou incoerência na posição do democrata, que pleiteia vaga no Senado e se aliou a Iris Rezende (PMDB), mesmo tendo pertencido ao projeto marconista desde o extinto PFL. “Para responder sua pergunta vou primeiro comentar a fala dele, porque a língua portuguesa é muito rica e permite que uma pessoa de boa retórica consiga falar muita coisa”, iniciou Paulo de Jesus, para na sequência afirmar que Caiado ainda não conseguiu explicar aos seus eleitores “a mudança brusca de posição.”

Paulo de Jesus questionou parte do discurso de Caiado quando oficializou união com Iris Rezende na última quarta-feira (18). Na ocasião o democrata relembrou o apoio do governador Marconi Perillo (PSDB) ao então prefeito de Goiânia em 2004, Pedro Wilson (PT). “No meio da fala ele disse que o governador Marconi apoiou o Pedro Wilson, como se o Marconi é que tivesse sido incoerente, enquanto ele está indo apoiar o Iris, que precedeu o Pedro Wilson e é o responsável pela crise atual da Prefeitura de Goiânia”, pontua o tucano. Para Paulo de Jesus, o apoio do governador se deu a um político competente, enquanto ao se unir ao PMDB, Caiado está indo de encontro à toda sua atuação no Congresso Nacional.

Na avaliação de Paulo de Jesus, Caiado passa a poiar também, mesmo que indiretamente, o prefeito Paulo Garcia (PT), herdeiro da prefeitura de Goiânia com a desincompatibilização de Iris Rezende em 2010 para concorrer ao governo Estado, quando foi novamente derrotado por Marconi.  “Ele está indo apoiar o Paulo Garcia, que é arrogante e prepotente. [O Caiado] Está rasgando sua história, e a população está atenta a isto”, frisa. Atualmente a gestão municipal enfrenta crise em diversos setores, sobretudo por conta de dívidas e pelo fato de encontrar-se em desacordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal desde o quarto quadrimestre de 2013.

Ao explicar o motivo para a representação, Caiado alegou que Marconi usa a máquina para conquistar o apoio de prefeitos peemedebistas e também democratas. “Isso é o que existe de mais retrógrado. Usar a máquina de governo para querer calar as pessoas e sufocar as lideranças. Isso é crime eleitoral”, disse. Em resposta, o tucano afirma que o apoio de prefeitos da oposição ao governo é resultado da atuação republicana do governador e que é Caiado quem está sendo retrógrado quando se une “a quem está acabando com o país, que é o PT e o PMDB, principal apoiador do governo federal.”

Paulo de Jesus nega o uso da administração estadual para angariar apoio de prefeitos da oposição, o que, segundo ele, ocorre porque como governador, Marconi Perillo tem mesmo que firmar convênios e auxiliar as prefeituras, que dependem de ajuda do Poder Estadual porque o governo federal concentra os recursos. “Quando o Caiado vai para sua fazenda em Nova Crixás ele passa por dois viadutos erguidos pelo nosso governo, porque era um problema que o Marconi disse que resolveria e resolveu”, alfineta, referindo-se ao viaduto da GO-060 em Trindade, pelo qual é necessário passar para pegar a GO-070, que dá acesso ao município.

O tucano alega que Ronaldo Caiado vem sendo eleito para a Câmara dos Deputados por conta do apoio da base aliada, embora, mesmo antes da posse, passe a usar o discurso de independência em relação à aliança junto à qual foi eleito. “Quando ele diz que não defende interesses pessoais está sendo incoerente, porque nada é mais individual que buscar união com o que tem de mais atrasado hoje na política em Goiás”, assevera Paulo de Jesus.

No discurso que oficializou aliança com o PMDB, Ronaldo Caiado foi enfático ao abordar a delicada questão da segurança pública em Goiás, que em dezembro de 2013 viu o número de homicídios dolosos bater recorde, levando a gestão estadual a repensar a forma de atuação. Desde maio deste ano a segurança pública em Goiás tem enfrentado situação atípica com assassinatos cometidos contra mulheres por motoqueiros, além do aumento na violência na Grande Goiânia com o início da Copa do Mundo. Sobre este ponto, Paulo de Jesus afirma que se a situação está assim, como já vinha sendo criticado pelo próprio Caiado, é porque o governo federal não auxilia os Estados, com liberação de recursos suficientes. “Ele mesmo critica isso quanto à gestão petista lá no Congresso e agora vai apoiar o PMDB que é a base de sustentação do PT”, analisa.

A reportagem tentou contato com o deputado federal Ronaldo Caiado para comentar as declarações do presidente do PSDB, mas as ligações não foram atendidas até esta publicação.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.