Para Nion Albernaz, base aliada tem maior chance de aliança com Ronaldo Caiado

Tucano acredita que acordo tem que ser fechado o mais rápido possível. Ele avalia que Marconi Perillo tem mais vantagens sobre adversários para conclusão de acordo

Para Nion, Ronaldo Caiado tem feito bom trabalho no setor do agronegócio. Processo de negociação é demorado, mas deve ser fechado o mais rápido possível. Foto: Henrique de Paula/Arquivo

Para Nion, Ronaldo Caiado tem feito bom trabalho no setor do agronegócio. Processo de negociação com a base é demorado, mas deve ser fechado o mais rápido possível. | Foto: Henrique de Paula/Arquivo

O ex-prefeito de Goiânia Nion Albernaz (PSDB) acredita que a base aliada do governo estadual tem maior capacidade de agregar o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) em seus quadros do que os pré-candidatos da oposição, como Vanderlan Cardoso (PSB) e Iris Rezende (PMDB). Em entrevista ao Jornal Opção Online nesta quinta-feira (12/6), o tucano afirmou que “faz votos” para que o grupo do governador Marconi Perillo (PSDB) feche a aliança o quanto antes com o democrata para as próximas eleições.

Em evento da base realizado no dia 31 de maio em Rio Verde, Região Sudoeste, José Eliton (PP) e Vilmar Rocha (PSD) foram oficializados como pré-candidatos a vice-governador e a senador. Os nomes tiveram o aval de Marconi Perillo, do governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho (PP), e do presidente nacional do PSD e ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Todos estiveram presentes na cidade.

Mesmo com os fatos, o histórico tucano acredita que será possível tal composição. “Em uma eleição são feitas coligações com quem fortalece a chapa. E o Caiado fortalece. Por isso, lutamos para que ele integre”, pontuou Nion Albernaz. No entanto, ressalta que existem integrantes da base que estão descontentes com o parlamentar, mas que a maioria é favorável à adesão dele. “Cada um tem um modo de pensar. Uns acham que é desagregador, outros truculentos.”

Questionado sobre como esse apoio poderia ser concretizado, o peessedebista destacou que essa é outra discussão, mais aprofundada. Para ele, é possível encontrar soluções para o casamento sem perder antigos aliados. Porém, existem comentários de que o deputado federal estaria fechado com Iris Rezende.

Outra dificuldade estaria na resistência de José Eliton em ser demovido do projeto de reeleição a vice. No mês passado, o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) julgou improcedente e arquivou a ação movida pelo Democratas por infidelidade partidária contra o pepista. O processo foi aberto após ele se desfiliar do DEM em abril de 2013, tendo sido eleito vice-governador pelo partido, o qual se filiou em junho daquele ano.

Outro obstáculo seria o projeto político de Vilmar Rocha, que cutucou Ronaldo Caiado publicamente em diferentes oportunidades. Enquanto alguns davam como certa a aliança entre o democrata e Marconi Perillo, o pessedista falava que a candidatura do colega de Câmara dos Deputados era “apenas balão de ensaio”. Enquanto isso, o vice-presidente da Assembleia Legislativa, Helio de Sousa (DEM), defende a união e disse trabalhar por isso.

Com isso, o alerta de Nion Albernaz foi para a possibilidade de divisão caso Ronaldo Caiado e o governador fechem acordo. Ele lembrou que o processo de negociação é demorado e caso seja concluído, pode tanto agregar quanto desagregar muitos militantes e lideranças. Na visão dele, o que mais beneficia a aliança é o fato de Marconi Perillo ter fôlego para dar continuidade ao trabalho que tem feito no atual mandato juntamente com o DEM.

Entre os motivos que o levam a apoiar o democrata está a atuação e representação dele diante um setor específico, o da agropecuária, considerado importante para o ex-prefeito da capital. “Ele tem defendido com garra e determinação não só o agronegócio, mas também aqueles que trabalham e dependem dele, como os trabalhadores rurais e os proprietários”, pontuou.

Nion Albernaz já ocupou três mandatos na capital do Estado e foi filiado ao antigo MDB. Perguntado sobre o cenário político local o político responde, de modo geral, que o PSDB não escolhe candidato. Mas sobre a decisão do PMDB em oficializar o nome de Iris Rezende como candidato, o tucano observou que esse foi o melhor entendimento na legenda.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.