Em reunião com ex-friboizistas, Iris diz que momento é de união para preparar a “máquina política” que é o PMDB

Peemedebista esteve reunido por toda a manhã com prefeitos em seu escritório. Sobre aliança com Ronaldo Caiado, ele disse que o democrata vai “contribuir muito” para as chapas majoritárias e proporcionais

Iris Rezende considerou que prefeitos e outros peemedebistas ficarão unidos até o último minuto. Fotos: Marcello Dantas/Jornal Opção Online

Iris Rezende considerou que prefeitos e outros peemedebistas ficarão unidos até o último minuto.  Fotos: Marcello Dantas/Jornal Opção Online

A reunião entre o pré-candidato ao governo estadual Iris Rezende (PMDB) e mais 21 prefeitos no escritório político dele, no Setor Marista, funcionou como um primeiro movimento para firmar a unidade interna na legenda. Em entrevista à imprensa no início da tarde desta terça-feira (17/6), o líder afirmou que a hora é de preparar a “máquina política” que o partido representa para as eleições de outubro. A maioria dos presentes era de apoiadores da candidatura do empresário Júnior Friboi, que recuou em 22 de abril.

Comenta-se nos bastidores sobre um possível retorno dele nas convenções. Supostamente, o nome do empresário seria recolocado durante a convenção, marcada para o dia 28 de junho, como protesto da ala friboizista contra o que seria imposição por parte de o ex-prefeito da capital.

Em sua fala, o ex-governador considerou garantida a integração entre todos os partidários em sua campanha. Destacando que a desistência do empresário ocorreu sem interferência e por motivos unicamente pessoais, Iris comentou que Friboi será bem recebido caso retorne ao pleito.

Ao final da entrevista, Iris lembrou que foi insultado por ser velho, mas que agora está mais “fogoso” do que na campanha de 1982, quando foi eleito ao governo com 66,72% dos votos.

Aliança com Caiado

Iris ainda classificou como evolução a aliança fechada com o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM), que vai disputar ao Senado. “A cada dia vamos aperfeiçoando na prática política e ele é de um partido que tem força nacional e em Goiás. E vai contribuir muito para as nossas vitórias nas chapas majoritárias e proporcionais”, avaliou.

Na sequência, erroneamente, o pré-candidato disse que a coligação entre PT-PMDB seria oficializada na quarta-feira. Prefeitos que o ladeavam o corrigiram rapidamente, falando que a aliança é com o DEM. O ato está marcado para as 16h de amanhã, no escritório do peemedebista.

Sobre outros acordos, inclusive com pequenos partidos que podem indicar o nome para a vice-governadoria, Iris relatou ter conversado com representantes de mais de quatro legendas nesta semana. Sem citar nomes, pontuou que o grupo exige a vaga na chapa majoritária. “Temos que olhar isso comiseraria, pois o grande interesse é aglutinar o maior número de partidos de oposição.”

No que se tange ao cenário nacional, Iris respondeu que o compromisso formal do PMDB goiano é o de apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Porém, indicou que pode dar palanque para outros candidatos, em referência ao presidenciável Eduardo Campos (PSB), que tem como candidato o empresário e ex-prefeito de Senador Canedo, Vanderlan Cardoso (PSB).

Trabalho paralelo

Samuel Belchior: trabalho paralelo para tentar acabar com a dissidência no PMDB e conquistar novas alianças

Samuel Belchior: trabalho paralelo para tentar acabar com a dissidência no PMDB e conquistar novas alianças

Antes do término da reunião o presidente estadual do partido, o deputado Samuel Belchior, ressaltou em entrevista coletiva que o encontro entre Iris e os prefeitos foi marcado de última hora e que nem todos os administradores foram contatados. Mesmo assim, a conversa entre eles foi positiva. “Tenho certeza que vai ser um marco nessa caminhada rápida de unidade e fortalecimento do PMDB”, analisou.

O dirigente afirmou que tem atuado paralelamente em busca de novas alianças e que as negociações com o bloco de partidos independentes estão abertas. O grupo é formado por parte das siglas que apoiava a candidatura do empresário Júnior Friboi, retirada do páreo em abril. Ainda de acordo com Samuel, a maioria deles era formada por antigos apoiadores dele Friboi.

Já em relação aos prefeitos que anunciaram apoio ao governador Marconi Perillo (PSDB) em caso de reeleição, o diretório estadual está tentando reaproximá-los, mas sem adotar o “caça as bruxas”. Conforme relatou, o próprio Iris os convidou por telefone

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.