Pandemia aumentou desigualdade social e criou quase um bilionário por dia

Pesquisa divulgada pela entidade Oxfam mostrou que dez homens mais ricos do mundo mais que dobraram suas fortunas nos dois anos de disseminação da Covid-19

Bilionários mais que dobraram suas fortunas na pandemia. | Foto: Reprodução

A pandemia evidenciou e aumento a desigualdade social no mundo. Enquanto surge um bilionário a cada 26 horas, mais de 160 milhões de pessoas foram colocadas na linha da pobreza. Os dados são de uma pesquisa divulgada, no último domingo (16), pela entidade Oxfam.

A renda de 99% da humanidade caiu nos dois anos de pandemia. Por outro lado, os dez homens mais ricos do mundo mais que dobraram suas fortunas. Passaram de US$700 bilhões para US$1,5 trilhão. A diretora da Oxfam Brasil, Katia Maia, apontou que se estes homens perdessem 99,99% de suas riquezas, continuariam mais ricos do que 99% da população mundial.

De acordo com os dados divulgados, há 55 bilionários com riqueza total de US$176 bilhões no Brasil. De março de 2020 até agora, surgiram 10 novos bilionários no país.

A diretora da entidade ressaltou a fatalidade da desigualdade social. Segundo o instituto, o fator contribui com a morte de 21 mil pessoas por dia. As causas são falta de acesso à saúde pública, violência de gênero, fome e crise climática.

Conforme divulgou a Oxfam, um imposto único de 99% sobre os ganhos obtidos pelos dez maiores bilionários do mundo durante a pandemia seria suficiente para pagar por vacinas suficientes para toda a população do mundo, para providenciar saúde pública universal e proteção social, para financiar ações de adaptação climática e para reduzir a violência de gênero em mais de 80 países.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.