Pais temem que seus filhos não sejam atendidos no Cais de Campinas

Parte de atendimento pediátrico no local estava fechada, mas funcionários afirmam que havia um pediatra na unidade
Cais de Campinas | Foto: Fábio Costa / Jornal Opção

A parte de atendimento pediátrico do Cais de Campinas estava fechado na noite desta quarta-feira, 4. Segundo informações dos funcionários, apesar disso há uma pediatra no local, que irá atender os casos mais graves. Os demais ainda não há definição. Pais temem que seus filhos não sejam atendidos.

Ester Rosa de Oliveira trouxe o filho de 4 anos que está com febre e alergia. Mas não sabe quando ele será atendido. Segundo ela, o único medico no local priorizou apenas uma criança, enquanto outras 40 passam mal. “Nenhuma criança vai ser atendida”, prevê ela que aguarda há quase uma hora.

Da mesma forma, Iara da Silva Marques trouxe o filho de 1 ano e 8 meses e não sabe se haverá atendimento. “Já estamos há uma hora e nada. O menino está com dor de ouvido e dor de garganta. Eles falam que tem pediatra, mas querem agendar para amanhã. Para mim não tem ninguém”, afirmou.

Ainda conforme Iara, ela esteve antes no Hospital Materno-Infantil (HMI), mas mesmo com pouco número de pessoas, não foi atendida. “Disseram que era só atenderiam em caso de morte”, contou.

Em entrevista na tarde desta quinta-feira, 4, a secretária Municipal de Saúde, Fátima Mrué, disse que o problema da falta de médicos será resolvido a partir desta sexta, 5, quando novos pediatras começarão a trabalhar. Ainda segundo ela, não é obrigação do município oferecer serviços de atendimento de urgência e emergência, apenas ambulatoriais.

Sobre o fechamento das portas do espaço da pediatria uma solicitação de resposta foi enviada via e-mail, mas ainda não houve retorno.

HMI

No Materno-Infantil não havia grande número de pessoas. Inclusive Marli dos Santos trouxe a bebê de 3 meses, gripada, e disse ter sido atendida em meia hora. “Hoje está bom”, elogiou.

O relato dela é diferente da gestante de 1 mês, Francine Silva Santos, que espera há 4 horas. “Nem previsão me deram. Eu estou grávida e com suspeita de sífilis”, disse ao mostrar o braço com algumas manchas. “Não sou prioridade”, completou.

A informação do Materno é de que são sempre quatro pediatras que atendem o Pronto Socorro Pediátrico, durante o dia (7h às 19h), e três no plantão noturno (19h às 7h).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.