Nos últimos anos, o mapa geopolítico mundial tem sido redesenhado pela emergência de novos países. Cada uma dessas nações carrega uma história de luta, aspirações nacionais e processos diplomáticos que culminaram na sua independência.

Sudão do Sul (2011)

Após décadas de guerra civil com o governo central do Sudão, um acordo de paz foi alcançado em 2005, levando a um referendo de independência em janeiro de 2011. Mais de 98% dos eleitores optaram pela separação, e o Sudão do Sul declarou oficialmente sua independência em 9 de julho de 2011. Desde sua independência, o Sudão do Sul tem enfrentado conflitos internos e crises humanitárias, além de desafios de desenvolvimento e governança.

Kosovo (2008)

Kosovo declarou sua independência da Sérvia em 17 de fevereiro de 2008, após anos de administração da ONU e intervenção da OTAN devido ao conflito étnico na região. O processo de independência foi resultado de um longo histórico de tensões entre a maioria albanesa e a minoria sérvia. Embora reconhecido por mais de 100 países, Kosovo ainda não é membro da ONU, com países como a Rússia e a Sérvia recusando-se a reconhecer sua soberania.

Montenegro (2006)

Montenegro realizou um referendo em 21 de maio de 2006, onde 55,5% dos eleitores votaram pela independência da União Estatal de Sérvia e Montenegro. A independência foi formalmente declarada em 3 de junho de 2006. Desde então, Montenegro tem trabalhado para integrar-se à União Europeia e promover o turismo, aproveitando sua bela costa adriática.

Sérvia (2006)

Com a separação de Montenegro, a Sérvia se tornou um estado independente em 5 de junho de 2006. Anteriormente, a Sérvia fazia parte da Iugoslávia, e mais tarde, da União Estatal de Sérvia e Montenegro. A Sérvia tem se esforçado para modernizar sua economia e infraestrutura, buscando também a adesão à União Europeia.

Timor-Leste (2002)

Após a ocupação indonésia que começou em 1975, um referendo patrocinado pela ONU em 1999 resultou em um voto esmagador pela independência. Após um período de administração transitória da ONU, Timor-Leste tornou-se independente em 20 de maio de 2002. Timor-Leste enfrenta desafios econômicos significativos, apesar de suas ricas reservas de petróleo e gás.

Palau (1994)

Palau foi administrado pelos Estados Unidos como parte do Território Fiduciário das Ilhas do Pacífico após a Segunda Guerra Mundial. Em 1 de outubro de 1994, Palau se tornou independente, estabelecendo um Compromisso de Livre Associação com os EUA. Conhecido por suas paisagens marinhas deslumbrantes, Palau é um destino de mergulho de renome mundial.

Eritreia (1993)

Após uma guerra de independência de 30 anos contra a Etiópia, um referendo em abril de 1993 resultou em um voto quase unânime pela independência, que foi formalmente declarada em 24 de maio de 1993. Eritreia tem enfrentado desafios significativos relacionados a direitos humanos e desenvolvimento econômico.

República Checa e Eslováquia (1993)

A dissolução pacífica da Tchecoslováquia em 1 de janeiro de 1993 resultou na formação de dois países independentes: a República Checa e a Eslováquia. Este evento é conhecido como a “Divisão de Veludo” devido à sua natureza pacífica. Ambos os países têm se desenvolvido rapidamente, com a República Checa integrando-se fortemente à União Europeia e a Eslováquia adotando o euro como sua moeda.

Namíbia (1990)

Após um período de administração sul-africana e uma longa luta de libertação, Namíbia conquistou a independência em 21 de março de 1990, com o apoio da ONU e de uma resolução pacífica das Nações Unidas. A Namíbia é reconhecida por suas políticas de conservação ambiental e pela proteção de sua biodiversidade única.

Leia também:

Servidores do Ibama e Icmbio aprovaram greve geral em pelo menos 16 estados, incluindo Goiás

Novas linguagens de IA podem facilitar consultas médicas e diagnósticos