Pagamento da data-base dos servidores do Estado segue sem definição

Secretária da Fazenda disse que negociação deve ser feita entre as categorias e suas respectivas pastas

Deputada Adriana Accorsi questionou a indefinição quanto ao pagamento da data-base | Fotos: Fernando Leite / Y. Maeda

Deputada Adriana Accorsi questionou a indefinição quanto ao pagamento da data-base | Fotos: Fernando Leite / Y. Maeda

Durante sessão no plenário da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), a deputada Adriana Accorsi (PT) comentou sobre o pagamento da data-base dos servidores estaduais. De acordo com a petista, em conversa com a presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em Goiás, Bia de Lima, a secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão, teria dito que não há perspectiva para pagamento do direito ao funcionalismo neste ano.

Uma reunião entre a secretária e diversos sindicatos foi realizada na manhã desta terça-feira (5/5). A assessoria de Ana Carla assegurou ao Jornal Opção Online que a secretária disse na ocasião que a discussão sobre a data-base seria feita entre as categorias com suas respectivas pastas — e não que ela teria negado o pagamento.

A data-base dos servidores estaduais geralmente é paga em maio. O projeto 930/2015, cujo relator é o deputado Jean (PHS), prevê mudança da data para agosto. Há duas semanas, o líder do governo na Casa, José Vitti (PSDB), disse que havia possibilidade do direito ser pago depois de agosto, e de forma parcelada.

Na reunião, a secretária Ana Carla Abrão também esclareceu que o pagamento parcelado dos salários irá continuar até o fim do ano. Os sindicatos, entretanto, reivindicam o pagamento integral no mês trabalhado — conforme garantiu o Sintego e o SindiSaúde.

A secretária de Finanças do SindiSaúde, Fátima Veloso, disse ao Jornal Opção Online que além do pagamento integral, a categoria ainda pede uma maior discussão a respeito da data-base. “Se estão parcelando o salário não vão pagar a data-base nunca! Queremos abrir discussão sobre isso”, pontuou.

Uma resposta para “Pagamento da data-base dos servidores do Estado segue sem definição”

  1. IRACI DE SOUSA MARQUES disse:

    A data base a partir de agosto, gera prejuízo para os servidores da Educação, uma vez que as férias da categoria acontece no mês de Julho gerando prejuízo no terço de férias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.