Padre suspeito de estuprar coroinhas se entrega à Polícia em São Paulo

O pároco Cláudio Cândido Rosa, de 43 anos, nega qualquer tipo de abuso sexual

Religiosos foram convocados pelo Papa Francisco, em fevereiro, para debater medidas concretas contra abuso sexual | Foto: Reprodução

O padre Cláudio Rosa se entregou à Polícia do município de Presidente Epitácio, a 645 km da capital, após ter pedido de prisão preventiva emitido pela Justiça de SP. O pároco é suspeito de estuprar coroinhas dentro da residência oficial da Paróquia a qual tomava conta. Ele era investigado pela Polícia local há um ano após jovens da igreja relatarem abusos sexuais quando menores de idade. O pároco nega as acusações.

Padre Cláudio Rosa de 43 anos

Nos relatos, as vítimas alegam abuso do padre quando tinham menos de 13 anos e a maioria dos episódios ocorreu dentro da igreja, entre 2015 e 2017. A Diocese responsável pelo padre fará um pronunciamento oficial sobre o caso na próxima quarta-feira, 6, mas adiantaram que o padre foi afastado de suas atividades em 2017 quando receberam as primeiras notícias e que o suspeito nunca teve comportamento inadequado nos 12 anos à frente da igreja.

Papa debate medidas concretas contra abuso sexual dentro da igreja

O Papa Francisco convocou centenas de representantes de várias áreas da sociedade ao Vaticano, na última semana de fevereiro, para debater as falhas da Igreja Católica na proteção dos menores. Cerca de 190 pessoas reuniram-se para quatro dias de trabalho, de 21 a 24, com o objetivo de apresentar ao mundo medidas concretas contra casos de abuso sexual.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.