O Vaticano investiga uma suposta orgia realizada dentro de uma igreja durante o período de lockdown, medida adotada em 2020 para conter a disseminação da Covid-19. O caso teria acontecido no Reino Unido e, segundo o jornal britânico Sunday Times um dos envolvidos nesse escândalo seria o padre Michael McCoy.

De acordo com a publicação seria o religioso quem fez o convite aos fiéis para participarem das festas privadas dentro das instalações do templo. Mais detalhes sobre esse caso ainda não foram divulgados, inclusive sobre quem mais estaria envolvido na suposta orgia.

O padre McCoy tirou a própria vida em abril de 2021, aos 57, depois que foi informado que seria investigado por abuso sexual de menores. Ele era responsável pela catedral de Newcastle desde 2019.

Outro padre investigado pelo Vaticano é ex-bispo de Hexham e Newscastle, Robert Byrne, que renunciou ao cargo em dezembro do ano passado, aos 66 anos. Em sua carta de despedida aos fiéis, ele afirmou ser “incapaz de continuar a servir o poco da diocese da maneira que queria”.

O responsável pela investigação é o arcebispo de Liverpool, que, em carta enviada ao Sunday Times, afirmou que os assessores do papa Francisco o encomendaram “um relatório detalhado sobre os eventos que levaram à renúncia do ex-bispo Byrne”.

Casos de violência sexual dentro da Igreja Católica estão na mira do papa Franciso, que anunciou medidas para conter esses atos criminosos. Entre as medidas adotadas pelo atual papado, está a que determina que membros da instituição religiosa denunciem às autoridades eclesiásticas casos suspeitos de abuso.