A captação de de órgão realizada em unidades de saúde em Goiás beneficiaram 11 pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Feitas ao longo longo da semana nas unidades de Santa Helena, Goiânia e Uruaçu, as captações resultaram em rins, córneas e fígados doados a pacientes de Goiás e outros estados.

Os procedimentos ocorreram no Hospital Estadual do Centro-Norte Goiano (HCN), em Uruaçu; no Hospital de Urgências de Goiás Dr. Valdomiro Cruz (Hugo), em Goiânia; e no Hospital Estadual de Santa Helena (Herso).

Os órgãos foram captados de três homens que foram a óbito nesta semana. O primeiro, um homem de 34 anos, doou os rins e córneas. Outro homem de 67 anos, vítima de traumatismo craniano, teve o fígado, rins e córneas captados para doação. Por último, um homem de 59 anos, vítima de morte encefálica, teve os rins captados para doação.

De acordo com a Gerência de Transplantes da Secretaria da Saúde de Goiás (SES), que acompanha todos os procedimentos, os órgãos beneficiaram pacientes de Goiás, Pernambuco e Minas Gerais, após cumprimento do rito de doação conforme determina a legislação.

Nas unidades, apesar da difícil decisão e da dor da perda, as famílias são acolhidas e amparadas pelas equipes multidisciplinares, compostas por profissionais do serviço social, fisioterapeutas, psicólogos, médicos e enfermeiros.

Fila

Os órgãos vão para pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista de espera única, gerida pelo Sistema Nacional de Transplantes (SNT). A decisão de quem vai recebê-los é baseada em diversos critérios como compatibilidade, idade e gravidade, conforme avaliação da equipe e sempre com o conhecimento do receptor. A doação após morte encefálica só é realizada com autorização da família.

Leia também:

Setembro verde: Profissionais do Hugo destacam importância da doação de órgãos

Preconceito e desinformação sobre doação de órgãos ainda prejudicam transplantes no Brasil