Oposição pressiona base de Paulo Garcia para derrubar veto

Apreciação estava agendada para a próxima semana, mas vereador Tayrone di Martino ameaçou apresentar requerimento pedindo a votação em plenário

Galerias da Casa estão ocupadas por servidores | Foto: Câmara de Goiânia/Twitter

Galerias da Casa estão ocupadas por servidores | Foto: Câmara de Goiânia/Twitter

A oposição pressiona a base aliada do prefeito Paulo Garcia (PT) na Câmara de Vereadores de Goiânia para derrubar o veto ao pagamento da data-base retroativo e universal a maio de 2014 aos servidores públicos municipais, na sessão desta quinta-feira (26/2).

O vereador Tayrone di Martino (sem partido) anunciou em plenário que apresentaria ainda hoje um requerimento para a inversão da pauta para projeto de lei 528/2014, que também concede a reposição salarial de 6,28%. “Eu não vou apresentar enquanto não aparecerem os 18 vereadores [suficientes para a derrubada do veto]”, afirmou em plenário.

No decorrer da sessão, o prefeito em exercício, Agenor Mariano (PMDB), enviou ao plenário um novo projeto parcelando o pagamento da data-base em três vezes, até 2016.

Até ontem, quando a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) orientou pela derrubada do veto, o presidente da Casa, Anselmo Pereira (PSDB), havia pré-agendado a apreciação da matéria apenas na próxima terça-feira (3/3).

Segundo Elias Vaz (PSB), os servidores pressionaram para que a votação fosse iniciada. No entanto, ao perceberem que tinham minoria, recuaram da apresentação do requerimento. Os votos a favor da derrubada do veto do Poder Executivo somam 16.

Da base aliada, Mizair Lemes Jr. (PMDB) falou aos servidores: “Se o projeto for colocado na pauta agora, vocês irão perder. Não sejam massa de manobra”. Já Djalma Araújo (SD), alertou para uma possível derrota da oposição. “Não vamos correr o risco de fazer a inversão para perder. Estamos aqui para ganhar. Precisamos de 18 votos”, avaliou.

Mesmo com toda a movimentação, o veto pode ser apreciado somente após as 12h01, afim de obedecer o período regimental de 24 horas ao intertício da votação na CCJ.

A data-base referente a 2014 deveria ter sido paga em maio daquele ano e previa o reajuste dos vencimentos em 6,28%, valor referente ao índice inflacionário de 2013.

Vereadora suspende viagem

A vereadora Dra. Cristina Lopes (PSDB) desistiu de viagem a Brasília ao ser informada que o veto de Paulo Garcia poderia ser apreciado nesta manhã. A tucana abandonou o avião, que estava prestes a embarcar, e chegou à Câmara por volta de 10h15 da manhã.

Deixe um comentário