Operação Tarja Preta: Ministério Público oferece denúncias contra prefeito e secretários de Aragarças

No total, 23 pessoas foram denunciadas nesta segunda-feira

A Operação Tarja Preta teve mais um desdobramento nesta segunda-feira (17/11) com a denúncia de mais 23 pessoas pelos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, inobservância das regras financeiras, dispensa indevida de licitação e fraude de licitação em Aragarças. Entre os denunciados estão o prefeito do município, Aurélio Mauro Mendes; o procurador-geral de Barra do Garças, Emerson Ferreira Coelho Souza; os secretários de Agricultura e de Saúde de Aragarças, José Carlos Martins Leão e Alex Almeida Leão; a ex-servidora de Aragarças Ilca Maria Granja; a servidora do Setor de Licitação de Aragarças, Suelen Freire de Almeida, e a pregoeira de Aragarças, Daiane Cristina de Oliveira Rohden.

O funcionamento do esquema de corrupção em Aragarças, assim como ocorreu em outros municípios, teve início com o aliciamento dos futuros agentes públicos – prefeitos, secretários, entre outros – durante a campanha de 2012. Empossados, os gestores passavam a auxiliar as compras, por parte do município, dos produtos de saúde num primeiro momento, de modo informal, sem qualquer controle por parte da administração, por meio do que se convencionou chamar de “vales”.

Após as compras, os envolvidos providenciavam os procedimentos de licitação ou de dispensa, ou os forjavam, caso fosse necessário. Então, para garantir o fornecimento dos produtos e a continuidade do esquema, eram realizados atos de corrupção ativa ou passiva – ou seja, pagamento e recebimento de propinas.

Segundo adiantam os membros do MP, com a finalização da transmissão e da análise das informações da quebra do sigilo bancário dos investigados, em breve serão oferecidas novas denúncias em relação aos demais municípios investigados na Operação Tarja Preta.

Além dos já citados, foram denunciados os membros da Comissão Permanente de Licitação de Aragarças, Jaime Gomes da Silva, Jarbas Alves de Brito, Jair Lopes da Silva e Flávio Ferreira Coelho Souza; a ex- assistente jurídica do município, Cássia Carmo Farias, e a ex-chefe da Controladoria Interna, Maria Felizarda Ferreira Cabra, assim como o administrador e sócio oculto da J.Médica e Pró-Hospital, Edilberto César Borges; o sócio da Pró-Hospital, Edilberto César Borges Filho; os sócios da J. Médica, Jaciara Garcia Boges e Milton Machado Maia, o sócio da Ideal Hospitalar, Valderlei José Barbosa. Ainda, o representante da Ideal, Domingos Amorim da Silva; o representante da Única Dental, Joel Paulo de Lima; o gerente nacional de vendas da Stock Hospitalar, Wilson Lemos Ferreira, e os representantes e supervisor da Stock, Fernando Bueno Ferreira e Dilermando Gonçalves de Moraes Neto.

O Jornal Opção tentou contato com o prefeito e a assessoria de imprensa de Aragarças, mas não obteve retorno.

A operação

A Operação Tarja Preta foi deflagrada pelo MPGO em outubro do ano passado com o intuito de averiguar um suposto esquema que teria desviado R$ 15 milhões dos cofres municipais de diversos municípios de Goiás e Mato Grosso por meio de vendas fraudulentas e superfaturadas de medicamentos. Estariam envolvidos prefeitos, secretários de Saúde, empresários e advogados.

Mais de 123 mandados de  prisão, condução coercitiva e busca e apreensão foram expedidos para Goiânia, Aparecida de Goiânia, Senador Canedo, Goianira, Trindade, Aragarças, Barra do Garças (MT), Pontal do Araguaia (MT), Inaciolândia, Carmo do Rio Verde, Rubiataba, Ceres, Rialma, Rianápolis, Uruana, Corumbaíba, Cromínia, Israelândia, Matrinchã, Indiara, Perolândia, Aloândia, Luziânia, Araguapaz, Mozarlândia, Piranhas e Pires do Rio.

As apurações realizadas apontam indícios de prática de formação de quadrilha, formação de cartel, peculato, corrupção ativa e passiva, dispensa indevida e inexigibilidade de licitação. Pelo menos 11 prefeitos de municípios goianos foram presos temporariamente:

Aragarças – Aurélio Mauro Mendes (PMDB)

Inaciolandia – Zilmar Florencio Alcantara (PTB)

Carmo do Rio Verde – Delson José Santos (PSDB)

Rialma – Janduhy Diniz Vieira Filho (PSDB)

Uruana – Glimar Rodrigues do Prado (PP)

Corumbaíba – Romário Vieira da Rocha (PR)

Cromínia – Marcos Roger Garcia Reis (PMDB)

Perolândia – Neldes Beraldo Costa (PT)

Aloândia – Sinomar José do Carmo (PMDB)

Araguapaz – Fausto Brito Luciano (PSDB)

Piranhas – Otair Teodoro Leite (PSDB)

Pires do Rio – ex-prefeito Luiz Eduardo Pitaluga da Cunha (PSD)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.