Operação Old School: Empreiteiras faziam pagamentos indevidos a fiscais responsáveis pelas medições das obras

São cumpridos 21 mandados de busca em Goiânia, Aparecida de Goiânia e Senador Canedo

MP-GO e Gaeco deflagraram operação | Foto: Reprodução

O Ministério Público de Goiás (MP-GO), por intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) cumpriu 21 mandados de busca e apreensão contra empreiteiros e ex-servidores da antiga Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop) por supostos desvios em 10 obras públicas.

O Gaeco informou que não vai divulgar quais são as obras, porque isso permitiria identificar pessoas, o que está sendo evitado neste momento em que a investigação ainda está em curso e ainda não houve oferecimento de denúncia. Além disso, que os valores desviados ainda estão em apuração. Os R$ 400 milhões informados são referentes ao valor total das obras sob investigação. Não é necessariamente o valor desviado.

Esquema

Segundo ao que foi apurado até o momento, o esquema funcionava por meio das empreiteiras que faziam pagamentos indevidos a fiscais responsáveis pelas medições das obras. Esses pagamentos eram feitos por intermediários.

De acordo com a operação, existem elementos que sinalizam esquema de intermediação, pelos fiscais de obras, na indicação e subtração de prestadores de serviços para as construtoras, com recebimento de percentual do serviço. Além disso, o Ministério Público apura a existência de sócios ocultos nas empresas investigadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.