Operação da PF combate fraudes em pregões eletrônicos do Dnit em São Paulo e no DF

Equipes policiais cumprem 22 mandados de busca e apreensão e de sequestro de bens e valores na ordem de R$ 12 milhões

Sede da Polícia Federal em Brasília | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira, 26, a Operação Burolano, com objetivo de investigar fraudes em pregões eletrônicos para aquisição de móveis pelo Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit). Os policiais federais cumprem 22 mandados de busca e apreensão, no Distrito Federal (DF) e em São Paulo, e de sequestro de bens e valores na ordem de R$ 12 milhões.

A investigação foi iniciada em 2020, a partir de auditoria realizada pela Secretaria de Controle Externo de Contratações Logísticas do Tribunal de Contas da União (TCU), que identificou a existência de um possível esquema de direcionamento ilícito em pregões eletrônicos e superfaturamento na aquisição de mobiliário para diversos órgãos públicos, notadamente, o Dnit.

Segundo a PF, o esquema teria ocorrido entre 2016 e 2017, o que configura a possível existência de um cartel entre empresas com atuação em licitações da Administração Pública Federal.

Por meio de nota, o Dnit informou que o órgão “colabora com a investigação, no que se refere a contratos executados em 2016 e 2017, visando a completa elucidação dos fatos”. Ainda, segundo o Dnit, “as instâncias de integridade da Autarquia também estão apurando os fatos a fim de adotar as medidas administrativas que forem necessárias”.

De acordo com a PF, o nome da operação, Burolano, significa o burocrata que trabalha nos escritórios. “Tendo em vista que se trata de investigação relativa à aquisição de mobiliário, faz-se a ilação de que esses móveis seriam adquiridos para a “buroleia”. (Com Agência Brasil)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.