Obras para ampliar esgotamento sanitário em Pirenópolis mantém preservação do patrimônio histórico

Para fazer o levantamento e acompanhamento arqueológico das obras, a Saneago contratou a Fundação Aroeira, entidade sem fins lucrativos ligada à PUC Goiás

Foto: Divulgação

O município goiano de Pirenópolis, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) está recebendo, por parte da Saneago, as obras de ampliação do seu sistema de esgotamento sanitário. Porém, com o intuito de preservar os casarões seculares, ruas e igrejas de arquitetura colonial, a execução segue rigorosamente todas as determinações técnicas do órgão normativo em relação ao monitoramento arqueológico.

Para fazer o levantamento e acompanhamento arqueológico das obras, a Saneago contratou a Fundação Aroeira, entidade sem fins lucrativos ligada à Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás). Apenas após a realização da etapa de sondagem é que o trecho é liberado para escavação.

A conclusão dos trabalhos está prevista para o primeiro semestre de 2021, e a expectativa é que cerca de 60% da população pirenopolina seja atendida com os serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto.

O benefício vai transformar o atual cenário de utilização de fossas sépticas, contribuindo para a preservação do lençol freático e de importantes cursos d’água. O valor dos investimentos é de aproximadamente R$ 17,3 milhões, provenientes de recursos próprios e federais (OGU-PAC).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.