OAB Goiás nunca deu tanto espaço para as mulheres como nessa gestão, diz ala feminina da seção

Mulheres que compõem chapa de Lúcio Flávio rebatem críticas sobre pouca representatividade feminina na gestão atual

A seccional goiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) encontra-se em época de eleição. Recentemente a chapa do atual presidente, Lúcio Flávio, candidato à reeleição, foi alvo de críticas pela oposição, que alegava que ele contava com poucas mulheres em seu conselho. As mulheres que compõem a chapa, no entanto, rebatem que a força feminina nessa gestão não está em números, mas em trabalho.

A presidente da Comissão Especial da Valorização da Mulher (CEVM), Thaís Moraes de Sousa, disse ao Jornal Opção que essas críticas são infundadas. “Nunca na história da ordem as mulheres tiveram tanto espaço de voto, eu sou um exemplo disso, como mulher e jovem que preside uma comissão”, disse.

Advogada Ariana Garcia | Foto: Divulgação

A advogada Ariana Garcia, que é conselheira seccional na atual gestão, falou que essas críticas são eleitoreiras e reiterou que é mentira qualquer afirmação de que as mulheres não tem espaço ou estão submetidas a amarras na OAB Goiás hoje. “O presidente dá abertura para que a gente possa trabalhar nos assuntos que temos interesse e, também, nas pautas femininas”, ressaltou.

A vice-presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas da OAB, Márcia Póvoa, ainda disse que representatividade não pode ser avaliada com base somente em números. “Não adianta colocar mulheres nos cargos e não darem espaço e voz. Nesse sentido, me sinto representada pela atual gestão, pois além de todo trabalho realizado pelas mulheres, nós sempre fomos ouvidas e participamos das tomadas de decisões”, afirmou.

Em relação aos números, Póvoa ainda destacou que as mulheres são 40% da chapa, espalhadas em todos os cargos. Para Ariana Garcia comparar a força da mulher na gestão por meio de números desconsidera outras questões importantes da representatividade. “Nós não somos só número, queremos paridade e isso tem a ver com a ocupação dos espaços”, disse.

Vice-presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas da OAB, Márcia Póvoa| Foto: divulgação

A presidente do CEVM também criticou o discurso da oposição baseado em estatística. “A força da mulher nessa gestão é traduzida em trabalho prestado, o que é possível perceber com clareza na OAB hoje”, afirmou.

Ariana ainda rebateu que as críticas que vêm da oposição por ex-integrantes da chapa de Lúcio Flávio são meramente eleitoreiras e que as mulheres têm, sim, protagonismo na gestão atual. “Essas pessoas dissidentes, que alegam que foram polidas pela presidência da OAB, nunca se envolveram em pautas relacionadas aos direitos da mulher”, e acrescenta: “O que eu vejo é um aproveitamento indevido da pauta para criar desagregação e embaraços”.

A conselheira reiterou a consideração de Thaís Moraes sobre o surgimento da discussão sobre a relevância da mulher na OAB nessa gestão. “É uma inovação da gestão do Lúcio, a representatividade feminina nunca tinha sido discutida antes, essa pauta nasceu com Lúcio Flávio”, finalizou.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.