OAB da Cidade de Goiás decide apoiar Flávio Buonaduce

Presidente da subseção, Haroldo Filho, diz que a atuação de Flávio no conselho e na diretoria da Ordem “é brilhante” e que grupo precisa trabalhar para fortalecer profissão

"Flávio Buonaduce sabe reconhecer a essência do projeto OAB Forte” | Foto: OAB

Haroldo Filho: “Flávio Buonaduce sabe reconhecer a essência do projeto OAB Forte” | Foto: OAB

O Presidente da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil na Cidade de Goiás, Haroldo José Rocha Machado Filho, um dos fundadores da OAB Forte, acaba de declarar apoio ao nome de Flávio Buonaduce para as eleições em novembro deste ano na OAB Goiás.

O advogado Haroldo Filho — que atua em Itapuranga, Itaberaí e São Luís dos Montes Belos e Cidade de Goiás nas áreas cível, trabalhista, agrário e empresarial — classificou a atuação de Flávio Buonaduce no conselho e na diretoria da Ordem como brilhante e diz que o grupo precisa trabalhar em torno do fortalecimento da profissão. Segundo Haroldo Machado, “o advogado precisa ser forte”.

Para o presidente da subseção da Cidade de Goiás, Flávio Buonaduce é o candidato mais indicado porque é capaz de manter esse trabalho notável que a OAB Forte realiza. Além disso, Haroldo destaca a capacidade de Flávio de saber reconhecer a essência do projeto e ainda fazer uma administração inovadora. Haroldo Filho também pontupi que a carreira de advogado militante de Flávio Buonaduce demonstra que será um bom presidente para Seccional goiana.

Confira abaixo a entrevista concedida nesta quinta-feira (3/09) na íntegra:

“Flávio Buonaduce sabe reconhecer a essência do projeto OAB Forte”

Porque o senhor decidiu declarar apoio a Flávio Buonaduce?
O Flávio (Buonaduce) passou a integrar o projeto OAB Forte de forma brilhante, tanto como conselheiro, quanto fazendo parte da diretoria. É uma pessoa capaz e que tem condições de resgatar a Ordem e manter esse trabalho notável que a OAB Forte vem fazendo porque veio da oposição e sabe reconhecer a essência do projeto. Então temos que reconhecer que ele é a melhor opção para a presidência da Ordem nessas eleições. É um bom advogado, bom articulador e com certeza vai ser um bom presidente.

O interior sempre tem grande peso nas eleições, isso pode se repetir esse ano?
Eu acredito que sim, a credibilidade do trabalho da OAB Forte no interior é muito grande, e a participação dos nossos advogados no pleito deve se repetir esse ano com mais vigor. Não que o advogado do interior seja mais importante, mas as adversidades que ele enfrenta são maiores do que as encontradas pelo advogado da capital. Por exemplo: há um relacionamento bem mais direto com os juízes, porque há apenas um ou dois na comarca, o que pode criar um embate maior com o judiciário em questões de relevância para a advocacia. Por isso o advogado do interior precisa do amparo da ordem e por isso ficamos mais unidos em torno do pleito.

“As críticas em relação à OAB Forte que são vazias e sem fundamentos, vindas de pessoas que não conhecem o trabalho da advocacia goiana e o que tem sido feito pelo grupo. Recebemos essas críticas e não criamos embate porque sabemos do despreparo dessas pessoas e sabemos que isso acontece apenas para adquirir benefício eleitoral.”

A Subseção de Goiás possui uma necessidade específica que busca sanar com as eleições?
A Cidade de Goiás reivindica o que todas as subseções reivindicam: o apoio da Seccional Goiás na atividade da advocacia, o respaldo para as prerrogativas, suprimento de varas quando necessário. Hoje a Subseção da Cidade de Goiás lida com três bons juízes, ou seja, as varas estão bem supridas, nossa estrutura física é boa, temos funcionários suficientes, o atendimento prestado é bom, e agora temos mais uma conquista que é o aumento da UHD. E eu gostaria de fazer aqui uma ressalva : não há concorrência entre o advogado que presta assistência dativa e a Defensoria Pública, porque o advogado que faz esse trabalho, presta o serviço com um custo muito baixo para o Estado. Então se tem uma questão hoje que eu acho fundamental para todas as subseções é revitalizar a imagem do advogado que presta assistência judiciária com a justiça gratuita no interior.

“O advogado precisa ser forte”

Qual balanço o senhor faz do trabalho da OAB Forte à frente da OAB Goiás e como avalia as críticas a esse projeto?
Críticas sempre vão existir, em qualquer situação, em qualquer âmbito, isso é próprio da democracia. Nós nunca iremos agradar a todo mundo, então aceitamos as críticas e agregamos a positividade delas para melhorar a Ordem. Mas há críticas em relação à OAB Forte que são vazias e sem fundamentos, vindas de pessoas que não conhecem o trabalho da advocacia goiana e o que tem sido feito pelo grupo. Recebemos essas críticas e não criamos embate porque sabemos do despreparo dessas pessoas e sabemos que isso acontece apenas para adquirir benefício eleitoral.  As conquistas sem dúvida são muito maiores, e são inegáveis, a OAB Goiás hoje é referência nacional no trato com a advocacia e na seriedade em tudo o que empreende, tanto para o advogado quanto para a comunidade. A valorização do profissional, tanto no interior quanto na capital, o bom relacionamento com o judiciário, a mudança no horário de funcionamento do Fórum e a recente questão da UHD são conquistas da OAB Forte, e eu poderia listar ainda várias outras.

“Quando alguém procura um advogado em sua defesa, procura alguém em condições de lutar contra as adversidades. Ninguém procura um advogado que esteja com a cabeça baixa, que vá ceder às pressões, ele precisa de alguém que esteja em condições de representá-lo de uma forma que o cidadão comum não consegue fazer”

Há renovação dentro da OAB?
Olha, eu fui conselheiro estadual por dois mandatos e do primeiro mandato para o segundo houve uma renovação muito grande. A diversificação foi excepcional. Os presidentes de subseção também são renovados sempre, nós agora, por exemplo, temos um candidato à presidência da Subseção da Cidade de Goiás, um rapaz jovem,  que vem excercendo a advocacia de forma bastante dinâmica na cidade e se ele encontra respaldo dentro do grupo OAB Forte é porque estamos atendendo as demandas dos nossos profissionais. Este projeto está há muitos anos sendo renovado e, portanto, não é um projeto de uma pessoa só, tivemos vários presidentes diferentes durante esse período, cada um trazendo caracterísiticas novas, fazendo uma administração diferenciada. Se o grupo está há tanto tempo à frente da Ordem, isso não é um desmérito, é um mérito que ele alcançou pela capacidade de seus dirigentes.

Qual a importância da OAB para o advogado e para a sociedade de modo geral?
Eu sempre costumo falar que não é um trocadilho: o advogado precisa ser forte. Porque quando alguém procura um advogado em sua defesa, procura alguém em condições de lutar contra as adversidades. Ninguém procura um advogado que esteja com a cabeça baixa, que vá ceder às pressões, ele precisa de alguém que esteja em condições de representá-lo de uma forma que o cidadão comum não consegue fazer. E para isso nós precisamos de uma OAB que dê um respaldo ao advogado para que no momento em que ele tiver sua prerrogativa ofendida no exercício da profissão ela possa se posicionar e ter credibilidade ao representá-lo. E não podemos nos esquecer também que a Ordem apesar de ser uma entidade classista ela também tem uma preocupação com o Estado Democrático de Direito, com a democracia, com a defesa da sociedade, com a defesa dos menos favorecidos, dos menos afortunados, das pessoas mais humildes. É por isso que temos, por exemplo, dentro da OAB, a Comissão de Direitos Humanos que faz essa defesa em casos de invasões, quando a pessoa mais carente é vilipendiada em seu direito, quando há necessidade de combater, como eu sempre digo, o bom combate. A Ordem sai em defesa. Quando é preciso combater algum ato até mesmo do executivo, ou do judiciário, a ordem está pronta pra isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.