O medo de quem precisa sair para trabalhar, enquanto Goiás chega a 7 mil casos de Covid e 102 mortes em 24 horas

Alta preocupa aqueles que não tem opção de ficar em casa e enfrentam aglomerações diariamente na rotina de ir ao trabalho

Médico em atendimento a paciente com Covid-19 | Foto: Tatiana Fortes

A rotina da auxiliar de Recursos Humanos, Ana Carolina Martins passa todos os dias pelo transporte coletivo lotado de Goiânia. Sem opção e tendo que sair diariamente para o trabalho, ela conta que o medo é constante, assim, como os cuidados para evitar o contágio da Covid-19.

“Eu pego ônibus a partir das 7 horas da manhã, cheio, sempre cheio, nunca está vazio, mesmo com a regra de embarque prioritário. Eu pego para o terminal do Cruzeiro, depois no setor Marista, a maioria da vezes em pé, e quando entro já vem cheio. Fico apreensiva, mas sempre me cuidando com máscara e gel. Eu fico mais apreensiva ainda quando as janelas do ônibus estão fechadas. Trabalho no horário comercial e saio por volta das 17 horas, que mais é lotado nos ônibus”, relata.

Ana Carolina conta, que nunca foi contaminada pelo vírus, o que a deixa mais apreensiva já que tem uma filha em casa.  “É porque tem que trabalhar, não tem outra opção e depende do ônibus. Quem não tem opção tem que correr o risco. Tenho medo sim, de pegar esse vírus porque, não sabemos como vai ser já que cada um tem um organismo diferente. Até hoje, desde que começou a pandemia eu vou e volto de ônibus, me cuido muito, até porque tenho minha filha em casa também, e até hoje não peguei”, disse.

Com a possibilidade de uma terceira onda da Covid, o surgimento de novas cepas, e, a grande circulação de pessoas é ainda maior o risco de contágio da doença. Os números de ocupação de UTIs, de casos e óbitos dos últimos dias vem mostrando isso. Na última quarta-feira, 9, Goiás registrou 7.031 novos casos de Covid-19 em 24 horas. E 102 goianos perderam a vida em decorrência da doença.

Nesta quinta-feira, 10, foram 2.893 novos casos da doença no estado em 24 horas e 66 mortes em decorrência da Covid, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), no total são 17.784 óbitos confirmados. A taxa de letalidade é de 2,81%. Com 356 óbitos suspeitos que estão em investigação.​

Ocupação UTI

Em Goiás, nesta quinta-feira, 10, a ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) destinados a pacientes com Covid-19 na rede estadual, em Goiás, está em 88,24% e enfermaria 66,17%. Dos 578 leitos implantados, 492 estão ocupados, 16 bloqueados e 70 disponíveis.

Já na capital, a  Secretaria de Saúde de Goiânia informou que atualmente possui 295 leitos leitos de UTI com taxa de ocupação de 79,92% e 250 de enfermaria com 68,61% de leitos ocupados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.