Novos caminhões da Comurg serão testados dentro de 10 dias

Segundo assessoria da empresa, carros fazem parte da nova frota, que está passando por adaptações. Númerro completo de carros estará nas ruas somente em junho

Coleta de lixo na capital está sendo feita com frota inferior em Goiânia

Coleta de lixo na capital está sendo feita com frota inferior em Goiânia. Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) pretende começar dentro de dez dias o teste de dois caminhões da nova frota de 40 veículos que irão atuar na coleta de lixo da capital. Eles poderão entrar em circulação na próxima semana. Atualmente, os coletores estão passando por adaptações, como a instalação de compactadores e o reforço na suspensão, para que suportem o peso dos resíduos recolhidos. No entanto, o número efetivo deve começar a circular somente em junho, conforme a companhia.

A Comurg informou nesta sexta-feira (25/4) que hoje estão sendo usados 46 veículos da frota da Prefeitura de Goiânia. São 13 caminhões compactadores, 17 basculantes, 13 com carrocerias e três pás mecânicas –– parte deles é da empresa Metropolitana Serviços Ambientais (rodando há quase dois anos) e outra é da Tecpav (com contrato de quatro anos). O restante da frota está sucateado, parado há cerca de dois anos e deveria ter sido leiloado.

Até o último mês de fevereiro, circulavam em Goiânia mais 25 coletores da Lopac, que pararam após o fim do contrato.

Na quinta-feira (24), a Metropolitana suspendeu a locação dos veículos por falta de pagamento de parte de uma dívida de R$ 4,5 milhões com a Comurg. O valor equivale a cinco meses de aluguel. O contrato vence em maio.

Debates

Durante as sessões desta semana na Câmara de Vereadores a crise na coleta de lixo dominou os debates em plenário. Anselmo Pereira (PSDB) propôs a criação de comissão. A intenção é auxiliar o presidente interino da Comurg, Nelcivone Melo (PT), na solução dos problemas no sistema de coleta de lixo. No entanto, o tucano não conseguiu conversar com ele.

Enquanto isso, Paulo Magalhães (SDD), da base, criticava Nelcivone. Na visão dele, uma pessoa nova e com força de vontade para trabalhar é quem deveria estar na presidência da companhia. Já Elias Vaz (PSB) e Geovani Antônio (PSDB) apresentaram requerimento convidando o petista para prestar esclarecimentos à Casa. O documento não foi aprovado por falta de um voto e vai trancar a pauta de votação na semana que vem.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.