Novo presidente da Amma sobre caso Nexus: “Andaremos junto à Justiça e ao MP”

Rodrigo Melo assegura que todos os processos “mais problemáticos” da pasta serão analisados cuidadosamente e com auxílio de outros poderes

Presidente da Amma, Rodrigo Melo | Foto: reprodução / Facebook

Presidente da Amma, Rodrigo Melo | Foto: reprodução / Facebook

O novo presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), Rodrigo Melo (Pros), garantiu ao Jornal Opção que, no que depender dele, o escândalo do Nexus Shopping & Business será avaliado cuidadosamente por sua gestão.

Recém-chegado à agência — assumiu há três dias –, Melo explicou que irá se apoiar no Ministério Público do Estado de Goiás (PMGO) para tomar decisões com relação às licenças prévias que foram expedidas a Consciente Construtora, de Ilézio Inácio Ferreira, e a JFG Incorporadora, de Júnior Friboi.

“Como é uma questão muito técnica e jurídica, marquei uma audiência no MPGO para ouvir os promotores do órgão e depois tomar as ações necessárias”, disse. Nessa leva de processos que ele considera “problemáticos”, está também a liberação de licenças para grandes eventos na capital goiana e a suposta formação de cartel nos postos de gasolina.

No último dia 11 de abril, o Ministério Público, por meio do promotor de Justiça Juliano de Barros Araújo, propôs ação civil pública ambiental para proibir, de imediato, o início da construção do gigante Nexus Shopping & Business, no Setor Marista, até o julgamento final da ação, que tramita na 2ª Vara da Fazenda Pública Municipal.

Entre os pedidos, está a anulação de todas as licenças e alvarás que foram emitidos tanto pela então Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano Sustentável (Semdus) e a Amma.

Durante meses, o promotor se debruçou em cima de todos os fatos apresentados, tanto pelas denúncias da CEI das Pastinhas quanto pelas reportagens do Jornal Opção — que consolidaram as suspeitas da fraude no EIV e da ausência quase que total de critérios para a realização de estudos embasados tecnicamente para a construção de um empreendimento de tamanha magnitude.

Rodrigo Melo — que é presidente estadual do Pros — diz que não pode emitir opinião sobre o escândalo do Nexus, mas assegurou que tudo será analisado “com critério” e que acredita que a população deveria ter sido ouvida, no caso. Ele cita, justamente, a falta de audiências públicas prévias antes do início do projeto. “Não estamos aqui para atender pedidos de A nem de B, andaremos junto com a Justiça e a MPGO”, completa.

O Nexus ainda não tem as licenças necessárias para iniciar as obras. Na Amma, o processo de pedido de Licença Ambiental de Instalação — que autoriza a construção — ainda se encontra em análise. E, segundo o atual presidente, não deve sair enquanto o processo não seja concluído na Justiça.

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.