Nova lei passa a destinar 50% das vagas na UEG para cotas

Norma precisa apenas da sanção do governo de Goiás

Foto: Reprodução

Um projeto de lei aprovado em uma das últimas sessões extraordinárias da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), antes do recesso parlamentar, defende, entre outros pontos, que do total de vagas ofertadas nos vestibulares da Universidade Estadual de Goiás, 50% devem ser reservadas à cotas.

A matéria, de autoria do deputado Marlúcio Pereira (PRB), pede que, desse número, 25% seja para estudantes concluintes da educação básica ministrada por escolas públicas, 20% seja para estudantes negros e 5% para estudantes indígenas e para portadores de deficiências.

A justificativa dada pelo parlamentar é a de que o Governo deve considerar a condição de desigualdade dos estudantes carentes provenientes de instituição do ensino público municipal ou estadual, assim como a portadores de necessidades especiais.

“O acesso a vagas em universidades públicas a cada dia torna-se mais difícil, principalmente para aqueles que não realizam um aprendizado focado às peculiaridades de cada processo seletivo. Em razão disso, as escolas particulares de nosso Estado criam turmas especializadas e espalham-se por nossas cidades cursos preparatórios especializados”, afirmou Marlúcio.

O projeto segue para a Governadoria do Estado onde será apreciado pelo governador José Eliton (PSDB).

Deixe um comentário